Parceria está mapeando urubu-rei. Foto: Hiago Ermenegildo


Desde janeiro deste ano, a Floresta Nacional de Ipanema (SP) tem realizado um projeto de recenseamento e monitoramento do urubu-rei (Sarcoramphus papa). A iniciativa casa o recente reaparecimento da espécie na unidade de conservação e o mapeamento dos seus setores de escalada.

Concebido em parceria com o Instituto Manacá, o Programa de Abertura de Escalada em Rocha e Monitoramento do Urubu-rei atende a uma necessidade de responder se a escalada em rocha é uma atividade possível de ser implementada na unidade, considerando que o plano de manejo indicava a ocorrência do urubu-rei nas áreas de interesse para o esporte.

Para Rafael Costa, analista ambiental e chefe da Floresta Nacional de Ipanema, a experiência mostra que o caminho para solução de alguns conflitos entre uso público e conservação nem sempre é o zoneamento mais restritivo do plano de manejo. “Mas sim o aprofundamento do diálogo e da pesquisa, para encontrar caminhos possíveis. Neste movimento a unidade ganhou parceiros na sociedade civil organizada e ganhará recursos, capacitação para os condutores e maior conhecimento sobre a fauna local. Espero que possamos replicar este modelo para outros problemas que a unidade deve enfrentar”, defendeu.

Floresta Nacional de Ipanema. Foto: Pietro Scarascia

 

*Com informações da Comunicação ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários