Ariramba (Galbula ruficada). Foto: Daniel Quini/FF

Ariramba (Galbula ruficada). Foto: Daniel Quini/FF

No dia 22/10, dez unidades de conservação estaduais de São Paulo participaram do Big Day Brasil, uma versão nacional do evento Global Big Day de observação e contagem de aves. Ao todo foram registradas mais de 400 espécies de aves, cerca de 37% do total registrado no país, 1.083 espécies. São Paulo foi o estado que mais contribuiu com registros no Brasil, com um total de 519 espécies de aves.

Veja abaixo o desempenho das unidades participantes do evento:

Estação Ecológica CaetetusA Estação Ecológica totalizou 60 espécies avistadas. Dentre as mais comuns estavam os columbídeos e tiranídeos. Entre as espécies mais raras: juriti-vermelha (Geotrygon violacea), maracanã-verdadeira (Primolius maracana), soldadinho (Antilophia galeata).

Parque Estadual CantareiraOs núcleos Pedra Grande, Águas Claras e Engordador  da unidade somaram 161 espécies observadas. Algumas delas: jacuaçu (Penelope obscura), tico-tico (Zonotrichia capensis), gralha-do-campo (Cyanocorax cristatellus), pitiguari (Cyclarhis gujanensis), maitaca-verde (Pionus maximiliani), pica-pau-do-campo (Colaptes campestris), tesourinha-da-mata (Phibalura flavirostris), pavó (Pyroderus scutatus), caneleirinho-de-chapéu-preto (Piprites pileata), tovaca-de-rabo-vermelho (Chamaeza ruficauda) e bico-chato-de-orelha-preta (Tolmomyias sulphurescens).

Corruíra (Troglodytes-musculus). Foto: Bárbara dos Santos/FF

Corruíra (Troglodytes-musculus). Foto: Bárbara dos Santos/FF

Parque Estadual Campos do Jordão: A unidade registrou 108 espécies. O tico-tico, a gralha-do-campo e o pica-pau-do-campo foram algumas das espécies mais avistadas. Já entre as mais raras, destaque para a tesourinha-da-mata, o beija-flor-de-topete e o papagaio-de-peito-roxo.

Parque Estadual Caverna do Diabo118 espécies, com destaque para a juruviara (Vireo olivaceus), o pavó (Pyroderus scutatus) e a araponga (Procnias nudicollis). Outras, mais raras, também foram vistas como o apuim-de-costas-pretas (Touit melanonotus), a saracura-lisa (Amaurolimnas concolor), a cigarra-bambu (Sporophila falcirostris) e a espécie endêmica e ameaçada de extinção, tropeiro-da-serra (Lipaugus lanioides).

Surucuá-variado (Trogon surrucura) Foto: Karlla Barbosa/FF

Surucuá-variado (Trogon surrucura) Foto: Karlla Barbosa/FF

Parque Estadual Ilha do Cardoso76 espécies foram avistadas no Parque, algumas com mais facilidade como o tico-tico-verdadeiro (Zonotrichia capensis), a juruviara (Vireo olivaceus) e o canário-da-terra (Sicalis flaveola). Dentre as espécies mais raras, destaque para o bem-te-vi-pequeno (Conopias trivirgata), o mãe-da-lua (Nyctibius griséus), o curió (Oryzoborus angolensis) e a figuinha-do-mangue (Conirostrum bicolor). 

Parque Estadual Intervales: Intervales foi o campeão do dia: foram registradas 333 espécies de aves. A jacutinga (Aburria jacutinga), espécie rara e ameaçada de extinção, foi observada em diversos momentos. Também se destacaram um ninho de tauató-pintado (Accipiter poliogaster) e o gavião-pombo-pequeno (Amadonastur lacernulatus)

Jacutinga (Aburria jacutiga), Foto: Divulgação/Parque Estadual Intervales

Jacutinga (Aburria jacutiga), Foto: Divulgação/Parque Estadual Intervales

Parque Estadual Jaraguá: Aqui foram registradas 42 espécies.Destaque para o tucano-do-bico-verde (Ramphastos dicolorus), o sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris) e o socozinho (Butorides striata), o sabiá-una (Turdus flavipe) e a coruja murucututu (Pulsatrix perspicillata).

Parque Estadual Serra do Mar: Juntos, os Núcleos Caraguatatuba, Picinguaba e Padre Dória registraram 168 espécies. Entre elas, o canário-da-terra-verdadeiro (Sicalis flaveola), andorinhão-de-sobre-cinzento (Chaetura cinereiventris), beija-flor-preto (Florisuga fusca), tiriba-de-testa-vermelha (Pyrrhura frontalis), o pula-pula-assobiador (Myiothlypis leucoblephara), o flautim (Schiffornis virescens), a tovaca-cantadora (Chamaeza meruloides), patativa (Sporophila plúmbea), gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus), saracura-sanã (Pardirallus nigricans), a juruviara (Vireo chivi), o teque-teque (Todirostrum poliocephalum) e a ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda).

Tangará (Chiroxiphia caudata). Foto: Nelson Gallo/FF

Tangará (Chiroxiphia caudata). Foto: Nelson Gallo/FF

Parque Estadual Turístico Alto do RibeiraNo PETAR foram 86 espécies registradas, como a saíra-sete-cores (Tangara seledon), o sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris), a corujinha-sapo (Megascops atricapilla), além de algumas mais raras como o macuco (Tinamus solitarius), o socó-boi-jararaca (Tigrisoma fasciatum) e o gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus).

Parque Estadual VassunungaNo PEV foi feito o registro de 18 espécies, como maria-faceira (Syrigma sibilatrix), urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura), sovi (Ictinia plúmbea), jaçanã (Jacana jacana), anu-preto (Crotophaga ani), alma-de-gato (Piaya cayana), ferreirinho-relógio (Todirostrum cinereum), bentevizinho-de-penacho-vermelho (Myiozetetes similis) e pipira-vermelha (Ramphocelus carbo).

Savacu (Nycticorax nycticorax). Foto: Bárbara dos Santos/FF

Savacu (Nycticorax nycticorax). Foto: Bárbara dos Santos/FF

*Com informações e imagens da Fundação Florestal

 

 

Comentários

comentários