Benefícios resultaram em cerca de 80 mil empregos, além de R$ 2,2 bilhões em renda, R$ 3,1 bilhões em valor agregado. Foto: Alexandre Maciel


De acordo com um estudo realizado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), as unidades de conservação receberam mais de 10,7 milhões de visitas neste ano. Os visitantes gastaram cerca de R$2 bilhões nos municípios de acesso às unidades de conservação.

O impacto desses gastos para a economia nacional resultou em cerca de 80 mil empregos, além de R$ 2,2 bilhões em renda, R$ 3,1 bilhões em valor agregado ao PIB e R$ 8,6 bilhões em vendas. O setor de hospedagem registrou a maior contribuição direta, com R$ 613 milhões em vendas diretas, seguido pelo setor de alimentação com R$ 432 milhões.

Esse ano, o estudo apresenta a geração de impostos decorrentes apenas dos efeitos sobre as vendas diretas e a remuneração. Assim, foram gerados, R$ 905 milhões em impostos (municipal, estadual e federal). A análise mostrou que cada real investido no ICMBio produziu R$ 7,00 em benefícios econômicos para o Brasil.

 

*Com informações de Comunicação ICMBio

 

 

 

Comentários

comentários