Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro

Edição feita às 20h41min de 29 de maio de 2017 por Ferreira (disc | contribs)

(dif) ← Edição anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)

O Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro tem uma área de 78.302 hectares e foi criado em 2000. Abrangendo os municípios de Aquidauana e Corumbá, sua área contempla ambientes representativos e diversificados característicos do Pantanal como lagoas permanentes, cordões de matas e o brejão do Rio Negro, os quais servem de refúgio e fonte de alimento a fauna local .Essas áreas periodicamente inundadas são consideradas como o berçário dos peixes do Pantanal. O parque ainda se encontra fechado para visitação.

Fique por dentro das novidades do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro no Blog do WikiParques


Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Mato Grosso do Sul
Município: Corumbá, Aquidauana
Categoria: Parque
Bioma: Pantanal
Área: 78.302 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual n° 9.941, de 6 de junho de 2000.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul
Contatos: Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul

Telefone: (67) 3318-5600

Unidade de Conservação do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro

E-mail: gabinete@semac.ms.gov.br Telefone: (67) 3318-5600

Chefe da Unidade: Leonardo Tostes Palma

Índice

Localização

O Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro (PEPRN - S 19º 25´34.8” W 56º36´19.7”) está inserido na área central do Pantanal sul. Possui uma área de aproximadamente 78.303 ha e está localizado nos municípios de Corumbá e Aquidauana

Como chegar

A sede do PEPRN está situada na antiga Faz. Esperança de propriedade do Sr. Roger Castier, com uma área de 10.955,5307 ha (15% do parque). Esta área está localizada no Município de Corumbá (MS), com acesso pela Rodovia BR 262 e estrada vicinal.

Ingressos

Fechado para visitação

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Preservar amostras representativas dos ecossistemas do pantanal, a fauna e flora nela associados, o sistema hidrologico com a manutenção da sazonalidade, o patrimonio cultural e cenico do pantanal do rio negro.

Histórico

Criado em 2000, o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro ainda não teve toda sua área com a regularização fundiária concluída. A UC teve seu Plano de Manejo desenvolvido em 2008, e tem expectativas de abrir para visitação em um futuro próximo.

Atrações

Trilhas , lagoas (barcos), fauna (grandes mamíferos) e flora abundantes (bosques de carandazal, buritizal e babaçual).

Aspectos naturais

Abrangendo os municípios de Aquidauana e Corumbá, sua área contempla ambientes representativos e diversificados característicos do Pantanal como lagoas permanentes, cordões de matas e o brejão do Rio Negro, os quais servem de refúgio e fonte de alimento a fauna local .Essas áreas periodicamente inundadas são consideradas como o berçário dos peixes do Pantanal.

A região do PEPRN está localizada na BAP, que compreende parte da bacia do rio Paraguai, desde as suas nascentes, até o rio Apa, que limita o Brasil com o Paraguai. A vegetação da bacia do Alto Paraguai (BAP) é originada da convergência de quatro grandes províncias fitogeográficas: Floresta Amazônica, Cerrado, Chaco e Floresta Atlântica. Na porção sul do PEPRN a paisagem está caracterizada por uma extensa região conhecida regionalmente como “brejão” do Rio Negro, além das matas ciliares do Rio Aquidauna.

Relevo e clima

O Pantanal Mato-grossense compreende a maior planície inundável do mundo, com aproximadamente 140.000 km2 de área. O clima na região é tropical quente, com inverno seco. A pluviosidade média anual da região é menor que 1.100mmm, com chuvas concentradas de novembro a março.

Fauna e flora

A região não possui espécies endêmicas de mamíferos. Algumas espécies de interesse para conservação como a onça pintada entre outros felinos, está estritamente associado a áreas de mata, sendo encontrado também em grandes fragmentos florestais ainda existentes. Entre os primatas que ocorrem no Pantanal do sul da Mato Grosso do Sul, temos o bugio (Alouatta caraya) e sagüi (Callithrix) que são os mais afetados pela transformação das áreas de matas em pastagens.

O Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro é considerado pelos pantaneiros um berçário e uma área de engorda dos peixes da região. Já foram catalogados mais de 150 espécies de peixe no território da UC.

Problemas e ameaças

Tráfico de aves e animais silvestres; desmatamento; queimadas ilegais; pesca predatória e ilegal; introdução de espécies invasoras, como o mexilhão dourado chinês (Limnoperna fortunei) e o caramujo-gigante-africano (Achatina fulica).

Fontes

Plano de Manejo do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro http://www.servicos.ms.gov.br/imasuldownloads/PlanosdeManejo/planomanejoPEPRN.pdf

http://sistemas.mma.gov.br/portalcnuc/rel/index.php?fuseaction=portal.exibeUc&idUc=423

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=423

Decreto de Criação http://aacpdappls.net.ms.gov.br/appls/legislacao/secoge/govato.nsf/1b758e65922af3e904256b220050342a/535d3e46f99278a904256bfb00101fa8?OpenDocument&Highlight=2,9.941%20

http://www.imasul.ms.gov.br/conservacao-ambiental/gestao-de-unidades-de-conservacao/unidades-de-conservacao-estaduais/parque-estadual-pantanal-do-rio-negro/