Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto

A Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto é uma área de proteção ambiental que circunda o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Foi criada pelo Governo de Goiás através do Decreto n°5.419, de 7 de Maio de 2001, com o intuito de preservar a flora, a fauna, os mananciais, a geologia e o paisagismo da região de Pouso Alto, bem como fomentar o desenvolvimento sustentável.

Atualmente na Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto encontram-se registradas vinte (20) unidades de uso sustentável, todas categorizadas como RPPNs, conforme mapa anexado.


Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Goias
Município: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Colinas do Sul, São João d'Aliança e Nova Roma.
Categoria: Área de Proteção Ambiental
Bioma: Cerrado
Área: 872.000,00 ha
Diploma legal de criação: Decreto nº 5.419 de 07 de maio de 2001.
Coordenação regional / Vinculação: Agência Goiana do Meio Ambiente (ou Agência Ambiental de Goiás)
Contatos:

Índice

Localização

Localiza-se na área que abrange ou municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Colinas do Sul, São João D'Aliança e Nova Roma, nos limites correspondentes às respectivas áreas urbanas.

Como chegar

Ingressos

Por abranger uma região extensa, a Apa possuí áreas de acesso gratuito e áreas que existe a cobrança de ingressos. Para mais informações sobre uma das maiores atrações naturais, que se sobrepõe à Apa, acesse: http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/.

Onde ficar

A APA Pouso Alto abrange diversas cidades, sendo algumas delas com forte veio turístico, como Alto Paraíso de Goiás. Existem diversas informações à cerca de hospedagem, no site das cidades como: https://www.altoparaiso.go.gov.br/ e https://www.cavalcante.go.gov.br/.

Objetivos específicos da unidade

A APA é destinada a estimular o desenvolvimento sustentável, afim de preservar a flora, a fauna, os mananciais, a geologia e o paisagismo da região.

Histórico

A região da APA ocorre uma grande variação altimétrica, sendo o ponto mais alto do Estado de Goiás. A proposta da criação da APA de Pouso Alto é de autoria da Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos- Goiás (SEMARH). A proposta baseou-se nas indicações técnicas que, na década de 60, determinaram a criação de um Parque Nacional com 625 mil hectares, que após ações contrárias foram reduzidas a 600 mil hectares. Cinquenta anos depois a criação da APA tentou resgatar o decreto inicial delimitando uma Unidade de Conservação de mais de 800 mil hectares sua criação também foi uma forma de certificar as atividades dentro de seus limites. A OCA Brasil teria feito essa proposta em uma reunião da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, realizada em 1999. Em agosto de 2000, na sede da WWF em Brasília, foi elaborado o plano de execução sob coordenação de Leonardo Lacerda, onde foram definidos os limites da APA e assim, no dia 07 de maio de 2001, pelo decreto Nº 5.419, foi criado a APA de Pouso Alto.

Atrações

A APA possui uma sobreposição com o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, que é a maior atração natural do local. Além disso, existem diversas outras belezas naturais na região, como cachoeiras e trilhas. É possível consultar informações de atrações através do site das cidades adjacentes e do site do Parque Nacional.

Aspectos naturais

Relevo e clima

A APA de Pouso Alto, pela classificação de Koppen (1948), apresenta três tipos de clima denominados: Aw, Cwa e Cwb. O clima Awé chamado de Clima de Savana ocorre na maior parte da APA, onde os verões são chuvosos (dezembro- março) e uma estação seca durante o restante do ano, tendo ápice no mês de julho. Ocorre em baixas altitudes (300-400m), região central da APA. O Cwa é o clima tropical de altitude, caracterizado por ser chuvoso e moderadamente quente, apresenta temperatura superior ao clima Aw. Ocorrem nas linhas de escarpas entre as altas altitudes do clima Cwb e as baixas altitudes do Aw. O Cwb é o clima subtropical de altitude, com invernos secos e verões amenos. Ocorre nas altitudes mais altas da APA, com altitudes acima de 1200m. Quanto ao relevo, a APA de Pouso Alto é uma porção de um planalto que se estende pelo Norte-Nordeste do estado de Goiás. O oeste da APA é margeado por depressões, terrenos planos e baixos, que acompanham o sentido do rio Tocantins. No Leste os terrenos de elevada altimetria é interrompido bruscamente numa quebra de relevo, que leva ao Vão do Paranã. Ao Sul aumenta-se a cota altimétrica formando o Planalto do Distrito Federal, uma sequencia de chapadões que dominam o Leste do Goiás.

Fauna e flora

A APA de Pouso Alto, encontra-se totalmente inserida em um polígono definido como extremamente prioritário para conservação da biodiversidade (MMA, 2007), uma vez que também está inserida em uma área, na escala macrorregional, do projeto denominado Corredor Ecológico Paranã-Pirineus.

Problemas e ameaças

Os principais problemas encontrados na APA de Pouso Alto é a apropriação das terras pela expansão do agronegócio, como: pastagens, agricultura e extração de minerais. Esses conflitos ajudam na paralisação de zoneamentos e plano de manejo que são essenciais para o desenvolvimento sustentável da região.

Fontes

https://uc.socioambiental.org/arp/3258#pesquisa

http://www.sgc.goias.gov.br/upload/arquivos/2016-06/encarte-2_compressed.pdf

https://www.revistas.ufg.br/atelie/article/view/29955/16537