Floresta Nacional do Crepori




Floresta Nacional do Crepori
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Para
Município: Jacareacanga (PA) e Itaituba
Categoria: Floresta
Bioma: Amazônia
Área: 739.805 hectares
Diploma legal de criação: Dec s/nº de 13 de fevereiro de 2006/ Lei nº 12.678 de 25 de junho de 2012
Coordenação regional / Vinculação: CR3 – Itaituba
Contatos: TELEFONE: (93) 3518-4519

E-MAIL: flonacrepori.pa@icmbio.gov.br

Índice

Localização

Sede administrativa: Coordenação Regional 3: Av. Marechal Rondon s/n°, Aeroporto Velho. Itaituba/PA - CEP: 68.181-010

Como chegar

A Flona de Crepori localiza-se entre dois eixos rodoviários: a leste está a BR-163 e a oeste a BR 230. Porém, o ponto de acesso terrestre que chega mais próximo à Flona é via BR-163, acessando a Rodovia Transgarimpeira e seguindo até o Distrito de Creporizão. As comunidades mais próximas são Porto Rico e São José, localizadas a oeste da Flona e o Distrito de Creporizão a leste. Além dessas comunidades, existem ao longo de todo o rio das Tropas 14 aldeias indígenas, a saber: Boca das Tropas, Terra Preta, São João, Barro Vermelho, Bananal, Aconteke, Castanheiro, Maloquinha, Boca do Caroçal, Larginha (dentro da FLONA), Caroçal Rio das Tropas, Nova Esperança, Igarapé Preto e PV (Posto de Vigilância). A partir dessas localidades a principal via de acesso a Flona é fluvial e pode ser feito por três importantes eixos: 1) Para acessar a porção oeste, partindo de Jacareacanga, percorre-se o rio Tapajós até encontrar o rio das Tropas. Deste ponto, segue-se este rio em direção a sua nascente, sendo possível navegar até aproximadamente a Aldeia Igarapé Preto, na Terra Indígena Munduruku. 2) O rio Pacu próximo da vila de Porto Rico, é outro ponto de acesso à Flona na porção oeste. Por alguns de seus afluentes, como o Preto e o Pacuzinho, é possível adentrar a Flona na época das chuvas. 3) As porções leste e norte podem ser acessadas a partir de Creporizão (Itaituba), navegando pelo rio Crepori a jusante. O único afluente identificado da margem esquerda desse rio, com porte suficiente para navegação de barco, é o igarapé do Cocho. O acesso à Flona via terrestre é restrito, pois a única via existente dentro da Flona, a Vicinal Cristo Redentor, possui pequena extensão com poucas condições de tráfego.

Ingressos

Não está aberto à visitação

Onde ficar

Situa-se no Setor Sul da Província Amazônica, que abrange a bacia do rio Tapajós.

Objetivos específicos da unidade

Crepori foi criada com os objetivos básicos de promover o manejo de uso múltiplo sustentável dos recursos florestais, a manutenção e a proteção dos recursos hídricos e da biodiversidade, bem como o apoio ao desenvolvimento de métodos de exploração sustentável dos recursos naturais.

Histórico

Crepori foi criada em 2006 dentro de um pacote para conter o desmatamento ao longo da BR-163, que estava sendo asfaltada. Em 2012, perdeu 856 hectares, via Medida Provisória, que seriam inundados para a construção da usina de Jatobá.

Atrações

Situada no topo e encostas da Serra Grande e em uma área a leste da Flona, é tipologia única na área, onde as elevações estão entre 200 e 300 metros, sobre um solo raso. Entremeiam essas formações as bacias hidrográficas dos rios Crepori, Pacu e das Tropas.

Aspectos naturais

A Flona do Crepori reproduz em seu território as características ambientais do bioma em que está inserida, a Amazônia.

Relevo e clima

Clima equatorial úmido. Relevo ondulado que forma pequenos platôs e serras na porção norte da unidade, cujas altitudes chegam a 300m.

Fauna e flora

O Plano de Manejo identificou 46 espécies de mamíferos, pertencentes a 10 Ordens e 22 Famílias. A cobertura vegetal é composta por várias tipologias, sendo a Floresta Ombrófila Densa a de maior representatividade. Ocorre também a Floresta Ombrófila Aberta, apresentando-se ora com cipó, ora com palmeiras.

Problemas e ameaças

Segundo o Plano de Manejo, garimpo, atividades agropecuárias (criação de gado) e pesca com uso de timbó praticado por índios de aldeias localizadas no entorno da FLONA (segundo relato de pescadores e moradores do rio das Tropas) constituem os principais problemas identificados a afetarem a ictiofauna. Além disso, o corte de madeira, as derrubadas de áreas de floresta para implantação de pastagens e o garimpo irregular constituem fortes ameaças à integridade dos ambientes aquáticos. Esses impactos antrópicos têm efeitos negativos fortes, que afetam diretamente a ictiofauna, e são de difícil mitigação, principalmente em função do tempo necessário para a recuperação de áreas desmatadas ou do custo e dificuldades técnicas de recomposição de áreas alteradas por atividades de garimpo. Outro problema indentificado é o conflito de moradores locais com a fauna e a caça de subsistência.

Fontes

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/crepori_relatorio_avaliacao_ecologica.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/crepori_plano%20de%20manejo.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/amazonia/unidades-de-conservacao-amazonia/1929-flona-de-crepori

https://uc.socioambiental.org/uc/2241

http://www.oeco.com.br/salada-verde/26004-avalanche-de-votos-aprova-mp-que-altera-ucs-na-amazonia