Parque Estadual Cristalino I

O Parque Estadual do Cristalino - PEC, formado por duas áreas contíguas – os Parques Cristalino e Cristalino II, com área total de 184.900 hectares, é um território de grande importância ambiental localizado no norte do Mato Grosso. O Parque Cristalino foi considerado um dos mais ricos em diversidade do bioma Amazônico.


Parque Estadual Cristalino I
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Mato Grosso
Município: Novo Mundo (MT) e Alta Floresta (MT)
Categoria: Parque
Bioma:
Área: 184.900 hectares
Diploma legal de criação: Criação pelo Decreto Estadual nº 1.471, de 09 de junho de 2000 e pela Lei Estadual nº 7.518, de 28 de setembro de 2001. Ampliado pelo Decreto Estadual n° 2.628, de 30 de maio de 2001 (criação do Parque Estadual Cristalino II).
Coordenação regional / Vinculação: Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso
Contatos: Secretaria de Estado do Meio Ambiente de Mato Grosso

'Telefone:' (65) 3613-7224

Unidade de Conservação do Parque Estadual do Cristalino I e II E-mail: cuco@sema.mt.gov.br Telefone: (65) 3613-7224 // (65) 3613-7253

Chefe da Unidade: Eliani Mezzalira Pena

Índice

Localização

O Parque Estadual do Cristalino está situado nos municípios de Alta Floresta e Novo Mundo, no extremo norte de Mato Grosso, entre o rio Teles Pires e a divisa com o Pará, entre as coordenadas aproximadas de 9°25’ e 9°43’S e de 55°09’ e 56°02’W.

A maior parte da sua área localiza-se no município de Novo Mundo, sendo que a porção do extremo oeste do Parque encontra-se no município de Alta Floresta. Ao norte, faz fronteira com a Base da Força Aérea Brasileira, no Estado do Pará, a qual abriga uma extensa área de vegetação nativa. Na lacuna retangular que existe na sua porção sudoeste, estão as RPPNs Cristalino I, II e III. Seus demais limites a oeste, leste e sul fazem fronteiras com propriedades rurais.

Como chegar

Existem dois meios principais de acesso ao parque: por vias terrestre e fluvial. Por via terrestre, o principal acesso ao Parque é pela estrada Quarta Leste, uma estrada vicinal, com calçamento de saibro, que liga o parque à sede de Alta Floresta. A travessia do Rio Teles Pires é feita por balsa. A Quarta Leste entra no interior do PEC, até as margens do Rio Cristalino. Há, também, uma estrada de terra que parte da rodovia Primeira Leste e segue paralela ao limite entre os estados de Mato Grosso e Pará, em território paraense. A partir dessa estrada foi aberto um acesso que atravessa o limite estadual e chega até as margens do rio Cristalino. Esse acesso é controlado pelas fazendas locais. Além destas, existem estradas não-oficiais, abertas por fazendeiros e madeireiros, que penetram no extremo leste do Parque, mas não alcançam a bacia do Cristalino.

Por via fluvial, o acesso se dá a partir do rio Teles Pires, onde há vários locais propícios para o lançamento de pequenas embarcações, até a foz do rio Cristalino. O rio Cristalino atravessa o Parque e é navegável em toda a sua extensão, apesar do grande número de pedras submersas e pequenas corredeiras ao longo de seu curso.

Ingressos

O parque ainda está fechado para visitação. Porém, a RPPN Cristalino, localizada no entorno do PEC está aberta para atividades de ecoturismo.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Garantir a proteção dos recursos hídricos e a viabilidade da movimentação das espécies da fauna nativa, preservando amostras significativas dos ecossistemas existentes na área, e proporcionando oportunidades controladas para uso público,educação e pesquisa científica.

Histórico

O Parque Estadual Cristalino foi criado pelo Decreto n° 1.471 de 09 de junho de 2000 e Lei n° 7.518 de 28 de setembro de 2001, com uma área de 66.900 hectares, e ampliado pelo Decreto n° 2.628 de 30 de maio de 2001, que criou o Parque Estadual Cristalino II, com área de 118.000 hectares. Estas duas áreas contíguas, situadas nos municípios de Novo Mundo e Alta Floresta, somam 184.9000 ha. Neste processo de criação, tiveram importante papel a Fundação Estadual do Meio Ambiente, MT (atual SEMA), o Programa de Desenvolvimento do Ecoturismo na Amazônia – PROECOTUR, com a implantação de um pólo turístico em Alta Floresta, e o compromisso do governo estadual para com Programa de Desenvolvimento Agro-ambiental - PRODEAGRO, para criação de um conjunto de unidades de conservação.

Atrações

Aspectos naturais

O Parque Estadual do Cristalino possui 97% do seu território dividido entre as sub-bacias do rio Cristalino (42%), do rio Rochedo (40%), e do rio Nhandu (15%).

Relevo e clima

O estado de Mato Grosso, com sua grande extensão territorial, está situado numa área de transição entre o Clima Equatorial Continental, característico das áreas de Floresta Amazônica e Clima Tropical Continental, característico das áreas de Cerrado. Sua localização continental, distante mais de 1.400 km do Oceano Atlântico, confere ao Estado padrões climáticos sazonais, com alternância entre estação úmida (de novembro a abril) e estação seca (de maio a setembro).

Fauna e flora

O Parque Estadual do Cristalino é um santuário de biodiversidade do Estado do Mato Grosso. Seu território abriga mais de 500 espécies de aves, 50 delas endêmicas, 43 de répteis, 16 de peixes, 29 anfíbios e 36 de mamíferos, entre elas o raro macaco-aranha-de-cara-branca, espécie símbolo do Parque e que só ocorre lá.

O Parque Estadual Cristalino está situado na interface entre a Amazônia e os Cerrados e, em termos de fisionomia, a vegetação apresenta características comuns a ambos os biomas.

Problemas e ameaças

As atividades conflitantes registradas no PEC são: caça e pesca, desmatamento, ocupação irregular, fogo, visitação desordenada, pecuária, espécies exóticas, uso de agrotóxicos, pistas de pouso.

Em termos ecológicos, o Parque Cristalino foi considerado como um dos mais ricos em biodiversidade da Amazônia, tanto na Avaliação e Identificação de Ações Prioritárias para a Conservação, Utilização Sustentável e Repartição dos Benefícios da Biodiversidade na Amazônia Brasileira (MMA, 2000), como pelos estudos realizados para a elaboração da versão preliminar do Plano de Manejo do PEC (Campello et alii, 2002). Apesar desses elementos, somados ao fato da sua localização estar próximo a duas áreas indígenas (reserva dos índios Kayabi e Reserva do Xingu) e de uma área da Aeronáutica, na Serra do Cachimbo - PA, as ameaças à integridade da área são constantes. Essas ameaças se efetivam pelas invasões de fazendeiros que contam com o apoio de órgãos estaduais e políticos locais que por meio de projetos legislativos estaduais tentam reduzir a área do Parque.

Isso se reflete na situação atual do parque que continua ocupado por grandes fazendas ou ameaçado por invasões de integrantes do Movimento Sem-Terra, a espera de uma área para assentar famílias acampadas na região.

Atualmente, os assentamentos já estão implantados e os grandes fazendeiros encontram nos assentados a justificativa para continuar na área do parque e vice-versa.

Fontes

Parque Estadual do Cristalino I http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=1901

Parque Estadual do Cristalino II http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=1902

Plano de Manejo (volume 1: Diagnóstico ambiental e socioeconômico) http://observatorio.wwf.org.br/site_media/upload/gestao/planoManejo/PM_PE_Cristalino1.pdf

Lei n°7.518 (criação do PEC) http://www.sad-legislacao.mt.gov.br/Aplicativos/Sad-Legislacao/legislacaosad.nsf/709f9c981a9d9f468425671300482be0/8ce0ba6d03b5da098425704c006648b0?OpenDocument

http://www.oeco.org.br/colunas/colunistas-convidados/28170-parque-estadual-do-cristalino-e-a-bola-da-vez-no-mato-grosso/

http://www.icv.org.br/wp-content/uploads/2013/08/cartilhacristalino.pdf