Parque Estadual da Ilha do Cardoso

Fique por dentro das novidades do Parque Estadual da Ilha do Cardoso no Blog do WikiParques


Parque Estadual da Ilha do Cardoso
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Sao Paulo
Município: Cananéia
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 13.500 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual nº 40319, de 03 de julho de 1962.
Coordenação regional / Vinculação: Fundação para Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo
Contatos: Endereço: Av. Prof. Wladimir Besnard, s/n - Caixa Postal 43 - Cananéia/SP - CEP 11.990-000

E-mail: pe.ilhacardoso@fflorestal.sp.gov.br

Telefones: (13) 3851-1163, (13) 3851-8275 e (13) 3851-1108

Índice

Localização

Localizado no litoral sul do Estado de São Paulo, na divisa com o Estado do Paraná.

Como chegar

As principais vias de acesso, partindo-se de São Paulo, são a Rodovia BR-116 (Régis Bittencourt) até o o trevo de acesso ao município de Pariquera-Açu, distante cerca de 215 km da Capital. Deste trevo ruma-se para Pariquera Açu e Cananéia pela Rodovia SP-222 e depois pela rodovia municipal até a cidade de Cananéia. De Cananéia o acesso a Ilha do Cardoso é feito por barcos particulares.

Ingressos

A visitação no parque é realizada de forma dirigida, no Núcleo Perequê através de trilhas interpretativas, e, com enfoque exclusivamente turístico, em algumas praias como a do Marujá, Enseada e Pereirinha.

Onde ficar

O Parque conta com serviços de recepção para visitação pública (pousadas, restaurantes, camping) e serviços de monitoria ambiental.

Objetivos específicos da unidade

Preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Histórico

A história do Parque Estadual da Ilha do Cardoso contém muitos aspectos peculiares. Pode-se citar que sua origem é fruto da solicitação e empenho do pesquisador e professor da USP, Paulo Duarte, cujo discernimento somado à vontade e ousadia, geraram condições para transformar a Ilha do Cardoso na primeira área insular especialmente protegida do Estado de São Paulo. Segundo a mesma autora, o professor Paulo Duarte inseriu os seguintes objetivos de preservação em sua justificativa técnica para criação do Parque Estadual: conter as ações e os empreendimentos imobiliários iniciados na ilha, paralisar a exploração de sambaquis, da fauna e da flora; criar um parque natural, estabelecer uma base de estudos da Comissão de Pré-história e implantar uma estação de pesquisa do Instituto Oceanográfico da USP. O ofício estadual, encaminhado em 23 de junho de 1958 ao Presidente da República, Dr. Juscelino Kubitschek de Oliveira, solicitava que se declarassem protetoras as matas que revestiam a Ilha do Cardoso.

O Governador Carlos Alberto A. de Carvalho Pinto assinou o Decreto Estadual nº 40.319, em 03 de julho de 1962, transformando essa ilha marítima — dotada de excepcionais atributos naturais em Parque Estadual, na vigência da Constituição Federal de 1946 e do primeiro Código Florestal (Decreto Federal n.º 23.793, de 23 de janeiro de 1934)21. O parque possui cerca de 15.100 hectares.

O parque foi reconhecido pela UNESCO, em 1992, como zona núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, um reconhecimento da sua importância internacional, um patrimônio da humanidade.

Atrações

As praias, os costões rochosos e as dunas podem ser vistos na face da ilha que recebe as águas do oceano, onde se encontram as praias do Itacuruçá, Ipanema, Cambriú, Fole Pequeno, Foles, Lages e Marujá.

Os manguezais se formam no Canal do Ararapira e na Baía de Trapandé, na face ocidental da ilha. Além disso, uma extensa restinga cobre a maior parte da planície litorânea da Ilha.

Existem seis comunidades caiçaras no Parque. Com forte influência cultural indígena, desenvolveram um apurado conhecimento da natureza. São formadas em sua maioria por pescadores que, atualmente, têm o turismo como fonte substancial de renda.

São encontrados numerosos sambaquis (sítios arqueológicos), ruínas da ocupação humana a partir do período colonial e um marco do tratado de Tordesilhas, que também garantem grande importância histórica ao Parque.

Aspectos naturais

No parque são encontrados todos os tipos de vegetação da Mata Atlântica costeira: vegetação pioneira de dunas, manguezal, floresta pluvial tropical de planície litorânea e floresta pluvial tropical de encostas da Serra do Mar, além de vegetação de altitude e algas marinhas nas praias e costões rochosos. Este rico mosaico de vegetação proporciona uma variedade extraordinária de ambientes e uma grande e inestimável diversidade biológica.

Relevo e clima

O relevo da ilha do Cardoso é predominantemente montanhoso na sua porção central, com altitudes variando de 0 a 814 metros. A forma da ilha é irregular, sendo larga na parte norte, alongando-se em direção sul e sudoeste com uma faixa muito estreita de cordões arenosos, consolidados pela vegetação de restinga, cerca de 18 km de extensão.

Fauna e flora

Fauna

Vivem nas florestas da ilha do Cardoso, algumas espécies de animais apontados como ameaçados de extinção, sejam aves, tais como jaó-do-litoral, papagaio-de-cara-roxa, jacutingas, jacus e araponga, ou mamíferos, tais como bugio, mono-carvoeiro, cuíca-d'água, lontra, paca, cotia, veado-mateiro, porcos-do-mato, entre outros. Há muitas espécies de morcegos e uma grande variedade de insetos, além de mais de 430 espécies de aves, sendo algumas migratórias. Nos estuários é constante a presença de botos e aves marinhas.


Principais espécies da fauna (raras, ameaçadas, endêmicas): mono-carvoeiro Brachyteles arachnoides, papagaio da cara-roxa Amazona brasiliesis, harpia Harpya harpyja, jacutinga Pipile jacutinga, jacu-guaçu Penelope obscura, sabiá-cica Triclaria malachitacea, jacaré-do-papo-amarelo Caiman latirostris, onça-pintada Panthera onca, onça parda Puma concolor, lontra Lutra longicaudis, veado-mateiro Mazama americana, entre outras.

Flora

Sua flora riquíssima tem pelo menos 986 espécies de vegetais, destacando-se 118 espécies de orquídeas e 41 espécies de bromélias. Ipês, palmeiras, canelas, jequitibá, cedro, arapaçu, maçaranduba, caixeta e guaricica são algumas das árvores que esta unidade de conservação protege. O palmeiro Euterpe edulis è encontrado em grande abundância na floresta, sendo seus frutos importantes como alimento para a fauna.

Principais espécies da flora: Leguminosae como jatobá Hymenea altissima e copaíba Copaifera trapezifolia, Meliaceae como cedro Cedrela fissilis, Lecythidaceae como jequitibá Cariniana estrellensis, Euphorbiaceae como tapiá Alchornea triplinervia, Moraceae como figueira-branca Ficus insipida, Arecaceae como palmito-juçara Euterpe edulis, jerivá Syagrus romanzoffiarum, além de inúmeras espécies de Orchidaceae, Bromeliaceae, Cactaceae, Araceae, Lauraceae, Myrtaceae, entre outras.

Problemas e ameaças

Fontes

http://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_Estadual_da_Ilha_do_Cardoso

http://www.cananet.com.br/peic/

www.ipef.br/legislacao/bdlegislacao/arquivos/3341.rtf