Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios

O Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios, criado em 2014, é o segundo maior reduto de Mata Atlântica na cidade de João Pessoa. O Parque ajuda a criar um corredor ecológico que une outros dois parques estaduais da Paraíba.



Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Paraiba
Município: João Pessoa
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 515 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual n° 35.325, de 16 de setembro de 2014.
Coordenação regional / Vinculação: Superintendência de Administração do Meio Ambiente da Paraíba
Contatos: Superintendência de Administração do Meio Ambiente da Paraíba

Telefone: (83) 3218-5627

Unidade de Conservação do Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios

E-mail: ceasudemapb@gmail.com Telefone: (83) 3218-5627

Índice

Localização

Como chegar

O acesso é feito pela estrada PB-008, sentido João Pessoa-Conde.

Ingressos

Não há cobrança de entrada.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

I - Preservar os ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico; II - Garantir a conservação do remanescente florestal conhecido popularmente como a antiga fazenda Mangabeira; III - Garantir a conservação das populações de flora e fauna, especialmente as ameaçadas de extinção, através da sua proteção e ações de manejo; IV - Garantir a conservação das porções dos rios Cuiá, Jacarapé, Aratú, Mangabeira, Mussuré, e dos riachos Estivas e Sanhavá, inseridos dentro do seu limite e na sua Zona de Amortecimento; V - Proteger o remanescente florestal para garantir a manutenção do microclima da cidade de João Pessoa; VI - Estimular a conectividade entre o remanescente florestal e demais fragmentos de floresta da região metropolitana de João Pessoa; VII - Colaborar com as atividades de visitação e educação, estimulando uma consciência crítica em relação às questões ambientais do Parque Estadual (PE) Trilhas dos Cinco Rios; VIII - Estimular as pesquisas científicas em prol da conservação ambiental.

Histórico

O Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios foi criado no local que antes era conhecido como Fazenda Mangabeira. Vários projetos foram trabalhados nestas áreas desde 1934, quando foram adquiridas as terras pelo Governo Estadual, para a formação da Fazenda Mangabeira. Em 1960 houve a criação de conjuntos habitacionais adjacentes, nas décadas de 70 e 80 foi feito o planejamento turístico da região, em 2002 aconteceu a recategorização dos Parques Estaduais Jacarapé e Aratú, até que, de 2009 à 2012, foi feito um novo zoneamento da área, conhecida como Polo Turístico. O Parque Estadual das Trilhas dos Cinco Rios foi criado, então, em 2014.

Atrações

A grande atração do parque é a sua lagoa, e seu território tem sido muito aproveitado para prática do ciclismo e mountain bike.

Aspectos naturais

Na área do parque correm os rios Jacarapé, Cuiá, Aratu, Mangabeira e Mussuré, além dos riachos Estivas e Sanhavá. A Unidade de Conservação é o segundo maior fragmento de Floresta Atlântica da cidade de João Pessoa, depois da Mata do Buraquinho. O Parque ajuda a criar um corredor ecológico que une outros dois parques estaduais da Paraíba, o Aratu e o Jacarapé.

Relevo e clima

Fauna e flora

Estima-se a ocorrência de mais de 150 espécies de flora e mais de 70 espécies de fauna dentro do território do Parque.

Problemas e ameaças

Ocupação desordenada, desmatamento, caça, lixo.

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=3125

Diário Oficial com o Decreto de Criação: http://static.paraiba.pb.gov.br/2014/09/Diario-Oficial-17-09-2014.pdf

http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20140905122918&cat=paraiba&keys=-governo-aprova-reuniao-publica-criacao-parque-estadual-trilhas-cinco-rios

http://correiodaparaiba.com.br/cidades/meio-ambiente/belo-e-importantes-parques-sofrem-com-o-lixo/