Parque Estadual do Turvo



Parque Estadual do Turvo
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Barra do Guarita, Derrubadas, Esperança do Sul
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 17492
Diploma legal de criação: Decreto nº 17.432, de 11/08/1965
Coordenação regional / Vinculação: Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul
Contatos: Endereço: Centro Novo - Derrubadas - Derrubadas/RS

CEP: 98.528-000 E-mail: 1. parque-turvo@sema.rs.gov.br Telefone: 1. (51) 3288-8109

Índice

Localização

Localizado no noroeste do estado do Rio Grande do Sul, município de Derrubadas, junto ao rio Uruguai, fazendo divisa com o estado de Santa Catarina e a província argentina de Misiones.

Como chegar

A cidade de Derrubadas dista, aproximadamente, 490 km de Porto Alegre, capital do Estado. Os principais acessos ao Parque a partir de Porto Alegre são:

- pela BR-386, até o município de Sarandi, seguindo pela RS-569 até Palmeira das Missões, pela RS-468 até Coronel Bicaco e, por fim, pela RS-330 até o município de Derrubadas;

- pela BR-386, até o município de Frederico Westphalen, seguindo pela RS-472 até Tenente Portela e, por fim, pela RS-330 até o município de Derrubadas.

A partir de Misiones, na Argentina, o ponto mais próximo para travessia do rio Uruguai é em El Soberbio, seguindo por Tiradentes do Sul, Três Passos e Tenente Portela, pela RS-472 e, por fim, pela RS-330 até o município de Derrubadas.

De Santa Catarina chega-se por Itapiranga, onde existe uma balsa para travessia do rio Uruguai e depois por Barra da Guarita pela RS-163, logo após pela RS-472 por Vista Gaúcha e Tenente Portela e, finalmente, pela RS-330 até o município de Derrubadas.

Ingressos

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Proteger os processos naturais essenciais para a persistência e evolução das comunidades, em especial os processos de sucessão, o regime hídrico do rio Uruguai e dos arroios tributários.

Histórico

Turvo foi o primeiro parque criado no Rio Grande do Sul.

Atrações

A principal atração é o Salto do Yucumã ou ou Grande Salto Moconã, a maior queda d'água longitudinal do mundo, com 1 800 m de extensão e até 20 m de altura. Em idioma guaraní Moconá significa "que todo o engule".

Aspectos naturais

O Parque Estadual do Turvo preserva uma significativa amostra da Mata do Alto Uruguai, representando o último fragmento original gaúcho dessa floresta. Outro grande fragmento existente na região, mas que não apresenta o mesmo grau de conservação, é a Terra Indígena do Guarita, que, no entanto, possui certa conectividade com o parque, através das matas do lajeado Parizinho.

Relevo e clima

Relevo acidentado; altitudes entre 100 m e 400 m; nascentes de vários arroios; leito rochoso do rio Uruguai formando cachoeira longitudinal ao rio (Salto do Yucumã), com 1.800 m de extensão e até 20 m de altura de grande potencial cênico.

Fauna e flora

Floresta primária; rio Uruguai e vegetação reófita; vegetação rupestre; arroios e banhados de cabeceira; mais de 700 espécies de plantas fanerógamas e pteridófitas; cerca de 290 espécies de aves; mais de 30 espécies de mamíferos de médio e grande porte; muitas espécies de raras ou regionalmente ameaçadas: aves, anfíbios, mamíferos e plantas; várias espécies de plantas vasculares, aves e mamíferos globalmente ameaçadas.

Problemas e ameaças

Necessidade da conexão com as extensas áreas de floresta em território argentino contíguas ao Parque e relativamente contínuas até o P.N. Iguaçu, istência de espécies de aves e mamíferos de médio e grande porte, incluindo espécies globalmente ameaçadas; risco de isolamento pelo desmatamento acelerado no lado argentino e projetos de construção de barragens no rio Uruguai, nas proximidades do Parque ou compreendendo seus limites; caça furtiva; extração clandestina de jabuticabas; contaminação das cabeceiras dos arroios situadas fora do Parque por agrotóxicos e resíduos urbanos; pressão turística acima da el; estrada que dá acesso ao Salto do Yucumã corta áreas de mata primária ao longo de 15 km, favorecendo o ingresso de espécies exóticas, acumulando resíduos, risco de atropelamento de fauna e contaminantes e afugentando e matando animais.

Fontes

Plano de Manejo: http://www.sema.rs.gov.br/upload/Plano_manejo_PETurvo.pdf