Parque Nacional Grande Sertão Veredas

O parque está aberto à visitação, porém, ainda não possui infraestrutura totalmente adequada ao turismo. A entrada é permitida se realizada com:

• Carro alto, de preferência 4x4,

• O acompanhamento de um condutor de visitantes e

• A assinatura de um termo de responsabilidade na sede administrativa do parque, em Chapada Gaúcha.

Funcionamento do escritório: Segunda a sexta de 8h às 12h e 14h às 18h.

PARA VISITAS AOS FINAIS DE SEMANA, ENTRAR EM CONTATO COM ANTECEDÊNCIA PELO TELEFONE 38 36341465 OU E-MAIL: PARNAGSV@GMAIL.COM


Carregando mapa...
Parque Nacional Grande Sertão Veredas
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Minas Gerais
Município: Chapada Gaúcha/MG, Formoso/MG, Arinos/MG e Côcos/BA
Categoria: Parque
Bioma: Cerrado
Área: 230.671 hectares
Diploma legal de criação: Criado em 12 de abril de 1989. Decreto 97.658.

Em 21 de maio de 2004, pelo Decreto s/n°, foi ampliado chegando a uma área total de 230.671 hectares, sendo 56% ou 129.175,76 ha no município de Cocos (Bahia), 30% ou 69.201,3 ha no município de Formoso (Minas Gerais), 12% ou 27.670,52 ha no município de Chapada Gaúcha (Minas Gerias) e 2% ou 4.613,42 ha no município de Arinos (Minas Gerais), e com perímetro de cerca de 350 km.

Coordenação regional / Vinculação: Órgão gestor: ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - Autarquia Federal vinculada ao Ministério do Meio Ambiente.

Coordenação Regional 11

Contatos: Tel: (38) 3634-1465

Endereço sede:
Rua Guimarães Rosa, 149. Centro
Chalé - MG
CEP: 39.341-000
Email parnagsv@gmail.com

Índice

Localização

O Parque Nacional Grande Sertão Veredas situa-se na divisa dos estados de Minas Gerais e Bahia, com sede localizada no município de Chapada Gaúcha.

Formado por veredas e chapadões de cerrado, o Parque Nacional fica ao noroeste de Minas Gerais, a 584 km de Belo Horizonte, numa região de rochas areníticas. O local é propício para trilhas. A cidade mais próxima (3 km de distância) é a Chapada Gaúcha.

Como chegar

O acesso à sede administrativa da UC por Brasília pode ser feito via Formosa (GO) – Cabeceiras (GO) - Arinos(MG) – Chapada Gaúcha(MG), num total de 370 km totalmente asfaltado.

De Belo Horizonte, o melhor caminho, e totalmente asfaltado é via João Pinheiro - Brasilândia de Minas - Bonfinópolis - Riachinho - Chapada Gaúcha.

Existe acesso por - São Francisco - Serra das Araras - Chapada Gaúcha, com 130 km de terra de um total de 286 km e uso de balsa.

No caminho via Montes Claros – Januária - Serra das Araras - Chapada Gaúcha tem-se 155 km de terra do total de 315 km.

Pelo nordeste, o acesso pode ser feito Vitória da Conquista (BA) – Montes Claros ou Bom Jesus da Lapa (BA) – Manga (MG) – Januária (MG).

Empresas de ônibus que oferecem serviço de transporte entre Brasília e Januária com parada em Chapada Gaúcha/MG:

Vila Rica 38-99984-4478

Real Sul 61-3358-1060

Januária 38-9942-6163 / 38-9206-1087/ 61-9624-1033

O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek de Brasília é o de mais fácil acesso. Aproximadamente 360km de estrada pavimentada e em boas condições.

NA ENTRADA DA CIDADE DE CHAPADA GAÚCHA/MG ESTÁ INSTALADA UMA PLACA COM INDICAÇÃO À SEDE ADMINISTRATIVA DO PARQUE.

Ingressos

---

Onde ficar

A cidade de Chapada Gaúcha dispõe de 2 hotéis com boas condições de conforto, pousadas e boa infraestrutura comercial, com restaurantes, supermercados e demais comércios.

Hotel Recanto de Minas 38-3634-1446

Hotel Veredas 38-3634-1111

Pousada Minas Sul 38-99966-3727

Objetivos específicos da unidade

A UC tem como objetivo preservação do bioma cerrado, em especial as veredas, o desenvolvimento de pesquisas, de atividades de educação e turismo ecológico.

Como objetivos específicos, a unidade pretende conservar a paisagem dos gerais, cenário da obra de guimarães rosa, com destaque para as exuberantes veredas; assim como preservar amostras representativas do bioma cerrado sobre solos arenosos da região do espigão mestre do rio São Francisco, contribuir para a proteção da Bacia do Alto Carinhanha, especialmente aquiferos, nascentes e áreas alagadas. A Bacia do rio Preto e demais ecossistemas aquáticos e recursos hídricos localizados na área do parque também devem ser preservados.

Histórico

O nome do parque é uma homenagem a João Guimarães Rosa, um dos maiores escritores da literatura brasileira, cuja obra-prima foi “Grande Sertão: Veredas”, onde destaca a luta dos sertanejos.

O Parque nacional do Grande Sertão Veredas foi criado em 1989 e ampliado em 2004, chegando a uma área total de 230.671 hectares. Sua criação foi defendida pela FUNATURA para que se protegesse o cerrado descrito nas obras de Guimarães Rosa, que estava sofrendo, na época, uma ocupação rápida e desordenada.

Atrações

• Veredas diversas

• Mirante da Seriema

• Cachoeira e trilha do Mato Grande

• Encontro do Rio Santa Rita com o Rio Preto

• O encontro entre os Rios Preto e Carinhanha (rio que divide os estados de Minas Gerais e Bahia)

• Córrego do onça

• Mirante Três Irmãos

Explorar a região permite conhecer um pouco mais sobre o cerrado e suas características.

Aspectos naturais

O parque preserva várias espécies de animais, entre eles: cervo-do-pantanal, onça pintada, lobo-guará, arara-vermelha, ema, seriema, tatu-canastra, tatu-bola, mutum, suçuarana. O buriti e o xiriri (ou buritirana) são os grandes destaques na vegetação local.

Relevo e clima

O clima é característico da região dos cerrados brasileiros, semi-úmido, com estação seca bem definida, ocorrendo durante os meses de setembro a novembro, e estação chuvosa entre dezembro e fevereiro. Sendo, normalmente, junho o mês mais frio. A temperatura média anual é de 23°C, com máxima de 40°C e mínima de 0°C.

O relevo é em sua grande maioria plano e suavemente ondulado, característico dos Gerais que compõem a maior área do parque.

Fauna e flora

A vegetação é dominada pelo cerrado, fazendo do parque o maior do país com essa predominância. Há inúmeras veredas, onde podem ser encontrados os buritis. São comuns o pacari e o ipê-amarelo, palmeiras, buriti, gabiroba, pequi, faveiro, cagaita, cajuí, mangaba e aroeira.

A região apresenta pequenas árvores de 5 a 8 metros de altura. Possui uma composição florística bem própria, ocorrente em solos arenosos.

Entre as aves, destaca-se a presença de araras canindés e vermelhas, emas, águia cinzenta, socó boi escuro, gavião-de-penacho, papagaio-curau, ararinha, gavião-asa-de-telha.

Nota-se também a presença do tamanduá-bandeira, lobo-guará, veado-campeiro, suçuarana, suçuapara (cervo do pantanal), tamanduá-bandeira, jacaré-coroa, raposa-do-campo...

Problemas e ameaças

Fogo, presença de bovinos e equinos, caça, pesca e desmatamentos são os principais problemas que unidade de conservação enfrenta, assim como o impacto de muitas famílias que ainda residem no interior parque devido a falta de regularização fundiária.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/351/

http://www.brasil.gov.br/localizacao/parques-nacionais-e-reservas-ambientais/parque-nacional-grande-sertao-veredas-2013-mg

http://www.oeco.org.br/noticias/24667-grande-sertao-veredas-826-hectares-desapropriados

Plano Operativo de Prevenção e Combate aos Incêndios do Parna Grande Sertão Veredas, Julho 2005.

https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&ved=0CDEQFjAA&url=http%3A%2F%2Fwww.ibama.gov.br%2Fphocadownload%2Fcategory%2F44-p%3Fdownload%3D2332&ei=oGjHUYLqBdPH0gGL-4GIDg&usg=AFQjCNE_udE2ivKvoXwi9rgtCyyG9LJPcA&sig2=SG5gevXJv0OVU40fqbGmlQ

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_grande_sertao_veredas.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/cerrado/unidades-de-conservacao-cerrado/2099-parna-grande-sertao-veredas

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D97658.htm

www.brasilturismo.com

RECOMENDAÇÕES

• Verificar nível do tanque de combustível do veículo. As distâncias percorridas são longas!

• Leve bastante água e um bom lanche, mas evite vasilhames de vidro ou enlatados. Prefira alimentos leves como frutas frescas ou desidratadas, castanhas, sanduíches (sem maionese).

• Nem todos os estabelecimentos aceitam cartões e as opções de saque são: Banco do Brasil: todos os dias de 6h às 22h Caixa Eletrônico do Bradesco - Todos os dias de 6h às 22h Correios (Apenas Banco do Brasil), de segunda a sexta de 8h30 às 16h30 Lotérica (Caixa ou Banco do Brasil), de segunda a sexta de 8h às 18h e sábado de 8h às 12h Mercado Toledo (apenas Bradesco) - de segunda a sábado de 8h às 12h e 14h às 18h.

• Utilize roupas adequadas, boné e tênis ou outro calçado fechado.

• Leve protetor solar e repelente

• Leve seus remédios de usos específicos, como antialérgicos, e de uso controlado, como pressão, asma e outros.

• Siga as normas e as orientações dos funcionários do parque e condutores de visitantes, especialmente nas áreas de banho, pois elas visam a proteção dos ambientes e dos próprios visitantes.

• Observe, mas não recolha flores e pedras dos locais que você estã visitando, nem moleste os animais.

• Todo lixo que você produzir deverá ser trazido de volta à cidade, inclusive o lixo orgânico.

• Atividades em ambientes naturais envolvem riscos e o Parque Nacional não conta com serviço de resgate, portanto, aja com moderação. Evite atitudes que possam causar acidente, como subir em pedras ou árvores e saltar no rio de lugares altos. Lembre-se: VOCÊ É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA.

Atenção: Em épocas de chuva existe o risco de ocorrência de trombas d'agua, fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso.


RESTRIÇÕES:

Não é permitido(a):

• A entrada nas áreas de visitação com bebidas alcoólicas ou qualquer outra droga legal ou não, que limite os reflexos e a capacidade de coordenação motora do indivíduo.

• Fumar, além de ser proibido no PNGSV, não combina com o ambiente e atrapalha a experiência dos outros visitantes. Respeite-os.

• O uso de bronzeador, xampu e sabonete nos banhos de rio.

• A entrada de animais domésticos.

• O ingresso e a permanência na unidade de visitantes portando armas, materiais ou instrumentos destinados a corte, caça, pesca ou quaisquer outras atividades prejudiciais à fauna e à flora.

• A utilização de aparelhos ou instrumentos sonoros dentro do Parque, excetuando-se os casos necessários à fiscalização, busca e salvamento