Parque Nacional Pantanal Matogrossense

Fique por dentro das novidades do Parque Nacional Pantanal do Matogrossense no Blog do WikiParques


Carregando mapa...
Parque Nacional Pantanal Matogrossense
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Mato Grosso
Município: Poconé
Categoria: Parque
Bioma: Pantanal
Área: 135.000 hectares
Diploma legal de criação: Decreto n° 86.392 de 24 de setembro de 1981.
Coordenação regional / Vinculação: Coordenação Regional 10 em Cuiabá/MT, ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: Caixa Postal 8005,Cuiabá-MT, CEP 78048-970

Email: parnapantanal@icmbio.gov.br

Índice

Localização

Está localizado na confluência dos rios Paraguai e Cuiabá, no extremo sudoeste do Estado do Mato Grosso, na fronteira com o Estado do Mato Grosso do Sul e a Bolívia.

Como chegar

As visitas ao Parque Nacional do Pantanal Matogrossense são autorizadas ainda de forma excepcional para divulgação das potencialidades do ecoturismo no local.

O acesso é por via fluvial à 150 km descendo o rio Cuiabá, a partir do Porto Jofre (no final da estrada Transpantaneira, em Poconé/MT), ou a 230 km subindo o rio Paraguai, a partir da cidade de Corumbá/MS.

Ingressos

Não há cobrança de ingresso. É necessário autorização prévia para a visitação.

Onde ficar

Como não existe estrutura de apoio ao turismo na região do Parque (como hotéis, pousadas ou restaurantes para acomodações e alimentação) é necessário contactar os barcos-hotéis na cidade de Corumbá/MS, ou hotel localizado no Porto Jofre, em Poconé/MT.

Objetivos específicos da unidade

O Parque Nacional tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Histórico

A criação do Parque atendeu à reivindicações da sociedade e comunidade científica, para criação de uma unidade de conservação que protegesse amostras significativas do bioma pantanal. O Parque incorporou a antiga Reserva Biológica do Caracará, onde na década de 80 foi base de operações no combate à ação dos caçadores de jacarés, e praticamente dobrou seu território com a compra de uma antiga fazenda de gado, inundada em consequência das transformações da região, por ações antrópicas diversas.

A região era também ocupada por índios Guatós.

Atrações

A melhor época para visitação é de maio a setembro, quando chove menos – a partir do mês de maio, quando as águas começam a baixar, a observação da fauna torna-se melhor. A época das chuvas inicia-se em outubro e vai até abril, sendo janeiro e fevereiro os meses mais chuvosos.

E a partir do mês de dezembro é grande a quantidade de mosquitos, o calor é intenso e a Rodovia Transpantaneira fica praticamente intransitável.

Os ninhais de aves na Baía do Burro são alguns dos atrativos, além da observação embarcada da vida silvestre.

Aspectos naturais

O conjunto de unidades de conservação Parque Nacional do Pantanal e as reservas privadas do entorno corresponde a Área de Conservação Ambiental reconhecida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) como Patrimônio da Humanidade e também encontra-se como área núcleo da Reserva da Biosfera Mundial, também reconhecida pela UNESCO.

Relevo e clima

Com características tropicais continentais, a temperatura média varia de 23° a 25° C, com precipitação anual média de 1.000 mm. O regime de chuvas é tropical, apresentando a época seca, de maio a setembro, e a chuvosa, de outubro a abril, sendo que em dezembro e fevereiro são considerados os meses mais chuvosos.

O pantanal como um todo é caracterizado por uma enorme superfície de acumulação, de topografia bastante plana e frequentemente sujeita a inundações, sendo a rede de drenagem comandada pelo rio Paraguai.

O Pantanal Mato-Grossense é a maior planície de inundação contínua do planeta, constituindo-se hoje em uma planície deprimida caracterizada pela deposição de sedimentos quaternários.

Fauna e flora

O Pantanal é caracterizado por uma área de tensão ecológica de contato entre as regiões fitoecológica da Savana ou Cerrado e da Floresta Estacional Semidecídua.

Este é um dos ecossistemas mais produtivos do Brasil. Pode-se observar fauna terrestre (capivara, cervo-do-pantanal, jaguatirica, lontra, cutia), aves (garça moura, garça branca) e répteis (cobras, jacarés).

Em seu interior, há mais de 3.500 espécies de plantas, 264 tipos de peixes, 652 aves, 102 mamíferos, 177 répteis e 40 anfíbios.

Problemas e ameaças

A caça ilegal de jacarés, capivara e onça-pintada é um dos principais fatores que ameaça a fauna da região.

O fogo é problema grave da unidade, pois é utilizado para renovação e para manutenção de pastagens, podendo acarretar o desequilíbrio e afetar a integridade do ecossistema.

Outra ameaça é a pesca ilegal no interior e no entorno do Parque Nacional.

Os projetos de construção de barragens na Bacia do Alto Rio Paraguai, seja para geração de energia elétrica quanto para irrigação são ameaças potenciais uma vez que alteram o regime hídrico dos rios, interferindo no ciclo anual das águas, que caracteriza a ecologia da região.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/380/

http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/195-parque-nacional-do-pantanal-matogrossense.html

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/pantanal/unidades-de-conservacao-pantanal/2232-parna-do-pantanal-matogrossense

Decreto de criação: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_pantanal_matogrossense.pdf

http://www.brasil.gov.br/localizacao/parques-nacionais-e-reservas-ambientais/parque-nacional-do-pantanal-matogrossense-2013-mt

http://www.brasilturismo.com/parquesnacionais/parque-nacional-do-pantanalmatogrossense.php

https://www.facebook.com/pantanalbrasil

Plano de manejo, 2003: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_matogrossensee.pdf

http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_matogrossensee.pdf