Parque Nacional Viruá

O Parque Nacional do Viruá foi criado em 29 de abril de 1998, em atendimento a compromissos assumidos pelo Brasil na Convenção da Diversidade Biológica. Localizado no município de Caracaraí, centro-sul de Roraima, o parque abrange um mosaico de florestas aluviais, campinaranas e florestas de terra firme, em uma região com características típicas de um pantanal, no norte da Amazônia. O Parque Nacional do Viruá é uma das unidades de conservação com a maior diversidade de aves da Amazônia. São 531 espécies registradas (2014).


Fique por dentro das novidades do Parque Nacional do Viruá no Blog do WikiParques


Carregando mapa...
Parque Nacional Viruá
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Roraima
Município: Caracaraí
Categoria: Parque
Bioma: Amazônia
Área: 214.950,52 hectares
Diploma legal de criação: Decreto s/n° de 29 de abril de 1998.
Coordenação regional / Vinculação: Parna federal, órgão gestor ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: ICMBio Roraima - Núcleo de Gestão Integrada

Rua Alfredo Cruz, nº 283, Centro - Boa Vista/RR - CEP: 69301-140 (95) 3623-3250

ICMBio - Escritório em Caracaraí Av. Bem Querer, nº 2337, São Francisco - Caracaraí/RR - CEP: 69360-000 (95) 3532-1067

ICMBio - Sede do Parque Nacional do Viruá BR 174 Km 322 - Caracaraí/RR - CEP: 69360-000

Índice

Localização

Localizado no município de Caracaraí em Roraima.

Como chegar

O acesso ao Parque Nacional do Viruá se dá pela BR-174, rodovia federal que liga Manaus (AM) à Venezuela. São 190 Km de rodovia asfaltada partindo de Boa Vista-RR no sentido sul, ou 600 Km partindo de Manaus no sentido norte. Para chegar à Sede da UC, é preciso tomar a Estrada Perdida, no Km 322, e percorrer 7 Km de estrada de terra.

O acesso fluvial ao parque pode ser feito através do rio Branco, do rio Baruana, do rio Anauá e do rio Iruá. Apenas o rio Iruá está localizado no interior do parque. Os demais fazem parte do entorno da UC.

O aeroporto de Boa Vista é o mais próximo do parque, e recebe vôos regulares das principais empresas aéreas comerciais do Brasil.

Não há transporte público regular até o parque. Serviços de aluguel de veículo ou de transporte particular podem ser contratados em Boa Vista ou em Caracaraí, em locadoras ou cooperativas de transporte de passageiros.

Ingressos

Não há cobrança de ingressos no parque. O horário de funcionamento do parque é diário, das 6h às 18h.

É importante o agendamento prévio da visita através do email ngi.roraima.usopublico@icmbio.gov.br. A solicitação deve ter no mínimo de 4 (quatro) dias de antecipação. O visitante deve assinar o Livro de Visitas na sede do parque.

Na guarita de controle da Estrada Perdida, o visitante deve assinar o Livro de Visitas e Termo de Conhecimento de Riscos.

Onde ficar

O pernoite no parque está suspenso temporariamente devido à necessidade de manutenção das instalações.

Há opções de hotéis e pousadas em Caracaraí.

A distância da entrada do parque até Caracaraí é de 52 km.

Objetivos específicos da unidade

A UC tem como objetivos o de proteger integralmente uma porção representativa dos ecossistemas de Campinarana com fins de uso público e pesquisa científica.

Histórico

O nome do Parque advém do igarapé que nasce no seu interior. O Parque foi designado como Sítio Ramsar, área úmida de importância internacional em 2017. A Convenção de Ramsar é um tratado internacional que trabalha em prol da conservação e do uso sustentável das áreas úmidas,

Atrações

O Parque tem grande potencial para modalidades de turismo ecológico e científico. A observação de aves é um dos atrativos mais importantes.

Serra do Viruá - É o local com maior visitação no Viruá, onde está localizada a sede do parque e estruturas importantes de apoio a pesquisa e turismo. As florestas da Serra do Viruá funcionam como refúgio para inúmeras espécies da fauna e flora. A riqueza e a facilidade de observação de vida silvestre, em especial de mamíferos e aves, estão entre os principais atrativos deste setor.

Na estrada de acesso à sede, com 5 Km de extensão, observadores de aves fazem registros de espécies endêmicas e especialistas de hábitat, como inambu-de-pé-cinza (Crypturellus duidae), mutum-poranga (Crax alector), jacamim-de-costas-cinzentas (Psophia crepitans), uiraçu (Morphnus guianensis). A observação de mamíferos como primatas, onça-pintada, suçuarana, veado-mateiro, tatu-canastra, anta e queixada também são comuns.

O acesso com veículos particulares é permitido neste local.

Sistema de Trilhas do PPBio - O Sistema de Trilhas do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) foi implantado para dar suporte a inventários de biodiversidade e pesquisas de longa duração em ecossistemas florestais da Serra do Viruá e de campinaranas.

Composto por doze trilhas de 5 km cada, o sistema oferece 60 km de trilhas para caminhadas em florestas e áreas abertas. O acesso é feito a partir da Sede da UC. As trilhas têm nível médio a alto de dificuldade, onde os visitantes poderão ter contato com ambientes de serras, terras baixas e áreas alagáveis. Espécies frequentemente avistadas incluem aves endêmicas, primatas, tatus, tamanduás, quelônios e anuros.


Passarela da Samaúma - A passarela da Samaúma foi instalada para permitir a visitação de uma floresta alagável por pessoas com necessidades especiais e dificuldades de locomoção, assegurando conforto e proteção aos visitantes. No percurso de 200 metros é possível ter contato com árvores de grande porte, incluindo o amarelão (Fabaceae) e a belíssima Samaúma (Malvaceae), pica-paus, primatas, esquilos e até mesmo peixes de igarapés nas épocas úmidas.


Campinaranas do Megaleque - As campinaranas do megaleque são um atrativo especial do Viruá. Facilmente acessíveis através da Estrada Perdida, abrigam espécies da fauna e flora de ambientes abertos da Amazônia, muitas delas endêmicas das Guianas.

O avistamento do veado-caribenho ou veado-do-rabo-branco (Odocoileus virginianus cariacou) é bastante comum. Outras espécies avistadas são a anta pretinha (Tapirus kabomani), a onça-pintada (Panthera onca), o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous). Aves de banhado e aves endêmicas das campinaranas são espécies de destaque para os observadores, em especial o formigueiro-de-yapacana (Aprositornis disjuncta), choquinha-de-peito-riscado (Myrmotherula cherriei), dançarino-de-crista-amarela (Heterocercus flavivertex), o papa-capim-de-coleira (Dolospingus fringilloides) e o mutum-do-norte (Pauxi tomentosa).

O uso de bicicletas, quadriciclos e veículos particulares é autorizado neste setor.


Rio Branco - O passeio embarcado no rio Branco é uma experiência especial para os visitantes do Viruá. Com trechos de corredeiras acessíveis a partir de Caracaraí, e extensas praias até a foz do rio Anauá, é uma via de acesso rápido aos atrativos das várzeas e ilhas deste setor.

O Lago Aliança, distante cerca de 1h20 do porto de Vista Alegre, de águas pretas, oferece oportunidade para passeios embarcados e canoagem em ambientes de várzea e igapós bem conservados. Praias, ilhas e trilhas de pesquisa complementam a diversidade de habitats acessíveis aos visitantes, e possibilitam o avistamento de espécies endêmicas e especialistas de várzea, em especial o chororó-do-rio-branco (Cercomacra carbonária), a choquinha-do-tapajós (Myrmotherula klagesi) e o pato-corredor (Neochen jubata).


Rio Baruana - O rio Baruana tem um alto potencial para o turismo de base comunitária. Localizado no entorno do parque, possui florestas de várzea bem conservadas, e permite aos visitantes o contato com espécies e paisagens típicas da Amazônia, incluindo a ariranha (Pteronura brasiliensis), boto-rosa (Inia geoffrensis), japu-verde (Psarocolius viridis), japuaçu (Psarocolius bifasciatus), a garça-da-mata (Agamia agami) e a águia-pescadora (Pandion heliaetus). Também são comuns os tracajás (Podocnemis unifilis) e jacarés-açu (Melanosuchus niger).

De fácil acesso a partir da BR-174, é um passeio bastante acessível aos visitantes. A observação da fauna e flora é uma atividade privilegiada, pela riqueza de habitats muito próximos do canal fluvial. Uma única trilha instalada na margem do rio Baruana possibilitou o atual Recorde Ornitológico brasileiro, com um total de 225 espécies de aves registradas em um único dia. A diversidade de plantas também é notável.

O embarque é feito no porto próximo da ponte do rio Baruana, que fica a 15 km da entrada do parque, sentido sul. A pesca é permitida neste rio, respeitando-se as normas estaduais e federais vigentes.


Rio Anauá - O rio Anauá está no entorno do Parque Nacional do Viruá, sua margem direita corresponde ao limite sul do parque. É um rio de grande beleza cênica, que impressiona pela riqueza e abundância de espécies aquáticas. Lagos marginais funcionam como sítios de alimentação e reprodução de numerosas espécies de peixes, entre elas, o tucunaré-açu (Cichla temensis), de valor especial para o turismo.

Atividades de contemplação, acampamentos e caminhadas de longo percurso são possíveis a partir de sítios como o Campinho, no contato entre o Anauá e o Megaleque Viruá. Atividades de canoagem e observação de espécies nos tributários de águas pretas do Anauá podem ser bons atrativos neste setor. A pesca neste rio é permitida até o igarapé Pretinho, onde tem início a Floresta Nacional do Anauá, respeitando-se as normas estaduais e federais vigentes.


Rio Iruá - O rio Iruá é o principal rio no interior do parque. Seu curso, de águas pretas, é formado por belos espelhos d’água (estirões), intercalados por igapós labirínticos. O passeio em voadeiras é permitido até o estirão das três ilhas, e requer o uso de serviços de condução autorizados pelo parque. Passeios em caiaques, com motores elétricos ou a remo são os únicos permitidos no Lago da Baixa Verde, um aquário natural de águas cristalinas, drenadas para o Iruá por um dos mais extensos buritizais do parque, o igarapé da Baixa Verde.

Grandes cardumes e bancos de macrófitas podem ser observados com o uso de snorkel, em uma visão provavelmente inesquecível da diversidade de vida aquática do Viruá. Pontos de apoio para acampamentos estão localizados na Praia do Cajual (foz do rio Iruá) e no estirão da Parida.

Aspectos naturais

Localizado à margem esquerda do rio Branco, em Roraima, a dificuldade em acessar a UC dificulta o desenvolvimento do turismo em seu interior. O Parque Nacional do Viruá ainda é uma área pouco explorada pelo homem. A área do Parque abriga espécies de ambientes alagados – como palmeiras, buritis, açaí, jauari, bacaba e o inajá.

Os pesquisadores são os principais visitantes.

Relevo e clima

O clima é tido como equatorial (quente e úmido) na maior parte do ano com uma estação seca entre setembro e março.

O relevo de maior parte do Parque é plano, com predomínio de grandes lagoas. A área compreende uma vasta superfície plana com predomínio de solos arenosos e mal drenados.

Fauna e flora

A fauna da UC abriga expécies migratórias como o tuiuiú, a águia pescadora, a garça branca, o socó-boi, a jaçanã. Outros animais são: onça pintada, suçuarana, anta, todos sob risco de extinção.

Existem espécies ameaçadas como a onça-pintada, suçuarana e anta. Já foram identificadas 520 espécies de aves, quase metade das espécies conhecidas atualmente na Amazônia. A riqueza da avifauna faz parte do recorde brasileiro em número de espécies de aves observadas em um único dia com 225 espécies avistadas em 24 horas.

Outras 420 espécies de peixes foram registradas (a mais rica de todas as UCs do país), 110 de mamíferos e mais 100 de répteis e anfíbios.. Um total de 1.150 espécies de vertebrados.

Em relação à flora, 660 espécies de plantas foram identificadas no estudo, e a estimativa é de que, com a realização de novos inventários, pelo menos 1.800 espécies sejam registradas no Parque.

Problemas e ameaças

A UC está com a situação fundiária regular. A ação de caçadores no interior na unidade representa um dos principais conflitos na UC.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/300/

http://www.icmbio.gov.br/portal/visitacao1/unidades-abertas-a-visitacao/9591-parque-nacional-do-virua

http://www4.icmbio.gov.br/portal/parna-do-virua

Relatório Plurianual 2005-2008: http://ppbio.inpa.gov.br/sites/default/files/Relatorio_Pluri_Anual_Virua.pdf

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-parques-nacionais-brasileiros/parque-nacional-virua.php

http://www.brasilturismo.com/parquesnacionais/parque-nacional-virua.php

http://www.roraima-brasil.com.br/pacotes-roraima/roteiros-em-destaque/parque-do-virua

Projeto de ampliação do Parque Nacional do Viruá: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/o-que-fazemos/estudoampliacaoparnavirua.pdf

Ficha Ramsar https://rsis.ramsar.org/ris/2295