Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Fique por dentro das novidades doParque Nacional da Chapada dos Veadeiros no Blog do WikiParques


Carregando mapa...
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Goias
Município: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, São João D´Aliança, Teresina de Goiás, Nova Roma, Monte Alegre de Goiás e Campos Belos.
Categoria: Parque
Bioma: Cerrado
Área: 240.000 hectares
Diploma legal de criação: Decreto n° 49.875 de 11 de janeiro de 1961 / Dec n° 70.492 de 11 de maio de 1972 / Dec n° 86.596 de 17 de novembro de 1981 / Dec s/n° de 27 de setembro de 2001. Decreto de ampliação, 05 de junho de 2017.
Coordenação regional / Vinculação: Parna federal, órgão gestor ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: Tel: (62) 3455-1114/1116

Endereço sede:

Rod GO 239, Km 36 Vila de São Jorge
Alto Paraíso, Goiás.
CEP: 73.770-000

Índice

Localização

A sede do parque está localizada no nordeste do estado de Goiás, entre os municípios de Alto Paraíso e Cavalcanti.

A região da Chapada dos Veadeiros se localiza no Planalto Central brasileiro, na região administrativa Centro-Oeste, no estado de Goiás. Divide fronteiras com cinco outros estados: Tocantins, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O estado de Goiás engloba em sua área o quadrilátero do Distrito Federal, onde se localiza Brasília, a capital do país.

A Chapada dos Veadeiros é composta pelos seguintes municípios: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, São João D´Aliança, Teresina de Goiás, Nova Roma, Monte Alegre de Goiás e Campos Belos.

Como chegar

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - PNCV situa-se a cerca de 250 km, ao norte de Brasília e 470 km, ao nordeste de Goiânia.

O acesso pode ser feito pela BR-020, saindo de Brasília em direção à Formosa. No trevo, seguir à esquerda por 220km pela GO-118 em direção à Alto Paraíso. Depois à esquerda pela GO-239 por mais 36 km. Após percorrer essa distância, entrar à esquerda na Vila de São Jorge. A entrada do Parque fica a 800 metros do centro da vila.

Existem quatro linhas de transporte coletivo para se chegar ao Parque. A primeira é uma linha regular de ônibus entre Brasília e Cavalcante, passando por Alto Paraíso de Goiás, com freqüência de duas vezes por dia, saindo da rodoferroviária e da rodoviária de Brasília.

A segunda é uma linha também regular entre Brasília e Colinas do Sul, passando por Alto Paraíso de Goiás e pelo distrito de São Jorge, com a freqüência de duas vezes por dia, saindo da rodoferroviária de Brasília.

A terceira, entre Goiânia e Teresina de Goiás, passando por Alto Paraíso de Goiás, com a freqüência de duas vezes por dia em alguns dias da semana. A última, entre Rio de Janeiro e Alto Paraíso de Goiás, sai em dias alternados. Existe, ainda, uma linha de ônibus que compreende os municípios da região e faz o percurso entre Alto Paraíso de Goiás e Colinas do Sul, passando pela vila de São Jorge, duas vezes por dia.

Ingressos

Atualmente, não há cobrança de ingresso no Parque.

A UC está aberta à visitação de terça à domingo. No período de férias, de janeiro a julho, o Parque abre todos os dias de 8h – 18h.

A UC pode ser visitada o ano todo.O período seco vai de maio a outubro e as chuvas, de novembro a abril.

Onde ficar

Albergue
Endereço: Viela B, Quadra 8, Lote 01-B - Povoado de São Jorge
Tel: (62) 3455-1139

Camping e Chalés Portal da Chapada
Rod. GO 327, km 9 - Alto Paraíso
Tel: (62) 3446-1820
www.portaldachapada.com.br

Camping e Chalés Alvorada
Rua Elísio Bandeira, Quadra 61, lote 16 e 17 - Alto Paraíso
Tel: (62) 3446-1525

Camping Santa Rita de Cássia
Rod. GO 118, km 174 - Alto Paraíso
Tel: (61) 9955-9214

Pousada Casa das Flores
Rua 10, Quadra 14, Lote 2 - Povoado de São Jorge
Tel: (62) 3455-1055
www.pousadacasadasflores.com.br

Pousada Casa Rosa
Rua Gumercindo Barbosa, 233 - Alto Paraíso
Tel: (62) 3446-1319
www.pousadacasarosa.com.br

Ecopousada Cristal da Terra
Rua 1, Quadra 3, Lote 1 - Povoado de São Jorge
Fone: (61) 3455-1052
www.pousadacristaldaterra.com.br

Pousada Jardim do Éden
Rua Buritis, 244 - Alto Paraíso
Fone: (62) 3446-1395
www.pousadajardimdoeden.com.br

Pousada Mundo da Lua
Rua 12, Quadra 10, Lote 10 - Povoado de São Jorge
Tel: (61) 9983-8577
www.pousadamundodhalua.com.br

Pousada São Bento
Rodovia GO-239, km 08
Tel: (62) 3459-3000
www.pousadasaobento.com.br

Pousada Trilha Violeta
Rua 12, Quadra 7, Lote 5 - Povoado de São Jorge
Tel: (62) 3455-1088
www.trilhavioleta.com.br

Pousada Serendipity
Avenida Ary Valadão, 926 - Centro - Alto Paraíso de Goiás
Tel: (62) 3446-1500 / (62) 9971-6541 / (61) 9658-6243
e-mail: sigguimaraes@yahoo.com.br
www.pousadaserendipity.com.br

Objetivos específicos da unidade

Além da conservação, o Parque tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública.

Histórico

Criado em 1961, a Chapada dos Veadeiros protege uma área de cerro de altitude com centenas de nascentes e curso d’água e rochas de mais de um bilhão de anos. A UC preserva áreas de antigos garimpos como parte da história local.

Em 2001, a Chapada dos Veadeiros foi declarada Patrimônio Natural da Humanidades pela Unesco.

O período de sua criação coincidiu com o governo de Juscelino Kubitschek. Originalmente recebeu o nome de Parque Nacional do Tocantins e foi criado para proteger áreas de grande beleza, recursos hídricos, fauna e flora específicos do cerrado, protegendo inclusive o Planalto Central.

No ano de 1972, o Parque teve seus limites reduzidos e, ainda na década de 80, o Parque teve mais uma vez uma redução para a construção da rodovia GO-239. A sua ampliação só ocorreu em 2001, quando foi reconhecido como Sítio do Patrimônio Natural da Humanidade da UNESCO. No entanto, este decreto de ampliação acabou sendo suspenso dois anos depois pelo Supremo Tribunal Federal por falhas no processo de consulta pública.

A candidatura do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, inscrita em 2001, se inseriu na estratégia de eleger pelo menos um sítio representativo de cada bioma brasileiro. Em 2000, a União Mundial pela Natureza - IUCN avaliou a Chapada dos Veadeiros e considerou sua extensão insuficiente, acrescentando o Parque Nacional das Emas à proposta. Em 2001, o Comitê da IUCN emitiu parecer favorável, após a ampliação da Chapada pelo Decreto Presidencial de 27 de setembro do mesmo ano.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é assim denominado devido ao topônimo “Veadeiros”, não relacionado ao veado, que já teve ocorrência expressiva na área, mas sim ao cão que o farejava e perseguia. De acordo com dados históricos da região, esse topônimo aplicou-se, inicialmente, à Fazenda do Sr. Francisco de Almeida, que ali se estabeleceu de forma pioneira a partir de 1750.

A proposta de criação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi feita pela Fundação Coimbra Bueno pela Nova Capital do Brasil ao então Presidente da República Juscelino Kubitschek, no ano de 1960.

Atrações

Os Saltos 1 e 2 do Rio Preto, cartão postal da Chapada dos Veadeiros

A caminha e os banhos de cachoeira são as principais atividades no Parque. É possível percorrer as antigas rotas usadas por garimpeiros. Atualmente são quatro trilhas oferecidas aos visitantes:

- Travessia das Sete Quedas

É necessário agendamento prévio no ecobooking para fazer esta travessia com pernoite. Com 23 km, a travessia costuma ser percorrida em 2 dias, com pernoite na única área de camping do parque. A capacidade é de 30 pessoas, portanto as vagas diárias estão sujeitas à lotação. O trekking pelo Cerrado é uma chance para conhecer e apreciar a riqueza da Chapada. Para os mais experientes e com pouco tempo, é possível fazer a caminhada em apenas um dia.

A trilha é indicada para começar entre 6h e 9h. No primeiro dia, o percurso é de 17 quilômetros. As duas primeiras horas de caminhada (5 km) fazem parte do roteiro dos Cânions, depois são mais 12 km atravessando o Rio Preto – dos quais 2 km de caminhada até o rio e mais 10 km numa área de campo limpo florido que levará ao principal atrativo, as sete quedas. A previsão recomendada para chegar às quedas é entre 14h e 16h, quando ainda é possível aproveitar a luz do sol.

As quedas são cachoeiras de pequeno porte que proporcionam uma visão cênica de 360º. É possível banhar nas piscinas naturais, subir nas quedas e ter a vista do rio preto. A água na Chapada, em geral, é bem gelada. É possível pernoitar numa área preparada de camping com capacidade para 17 barracas a uma distância de 150 metros das quedas.

Já no segundo dia, é possível passar a manhã no atrativo. O visitante é orientado a retornar entre 11h e 12h. São três horas de caminhada. A travessia termina na GO-239, rodovia estadual de terra batida que liga São Jorge a Alto Paraíso. É possível contratar um serviço de uma operadora local para buscar o visitante no final da caminhada.

- Trilha dos saltos

São 9 km de extensão e dura entre 4 e 6 horas de caminhada e seu nível é considerado médio/difícil. O percurso é feito na maior parte do tempo em terreno acidentado e bastante pedregoso. Na ida, inclui a passagem pelo Garimpo, considerado o maior garimpo de cristal de quartzo da região quando estava em atividade (1912 a 1961). Depois de aproximadamente 4 km de caminhada, chega-se ao Mirante do Salto de 120m do Rio Preto, ponto alto do percurso, de onde se vê a queda d’água do Rio Preto. A 800 metros dali está o Salto de 80m, onde é possível tomar banho no rio, em área limitada devido ao nível da água.

Depois de uma subida bastante íngreme de cerca de 800 metros, que requer cuidados e mais 1,5 km de caminhada, chega-se às Corredeiras do Rio Preto, onde também é possível tomar banho de rio, nas hidromassagens formadas em suas pequenas quedas.

- Trilha dos cânions

Tem uma extensão de 10,5 km e dura entre 4 e 6 horas de caminhada e seu nível é considerado médio. O percurso é feito em trilha pedregosa, plana sem muitos aclives, passando por lugares com sombra, bicas com água e belas paisagens. Após cerca de 5km de caminhada, chega-se a uma bifurcação, seguindo à esquerda mais 1 km, o caminho leva à Cachoeira da Carioca. À direita, por cerca de 800m, está o Cânion II. Na Cachoeira da Carioca o Rio Preto se divide em duas quedas. A descida até o poço é íngreme e requer atenção redobrada

- Trilha da seriema

Tem uma extensão de 800 metros e dura 1h30 e seu nível é considerado fácil. O percurso ocorre em terreno plano e bem marcado até chegar no córrego rodoviarinha, onde é possível tomar banho na época das chuvas. Esta trilha é recomendada para pessoas com dificuldade de locomoção, como idosos, grávidas e crianças.

Aspectos naturais

A elevada altitude do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e a disponibilidade de água, contribuiu para uma alta diversidade fisionômica, transformando esta porção do cerrado em um grande mosaico de paisagens naturais que engloba formações florestais, savânicas e campestres.

O entorno do Parque oferece mais de 50 recursos naturais para visitação. Os atrativos naturais podem ser divididos entre cachoeiras e banhos de rio, trilhas, travessias, águas termais, mirantes e outros acidentes geográficos.

Relevo e clima

A região nordeste do estado de Goiás está inserida em uma zona de transição entre os domínios dos climas da região amazônica e dos semi-áridos da caatinga do nordeste brasileiro.

As temperaturas médias mensais estão entre 21º e 25ºC (junho a setembro) e entre 18º e 22ºC (nos outros meses do ano). O clima da região possui médias máximas de temperatura altas, variando entre 27º e 32ºC, com as médias mínimas atingindo valores entre 16º e 19ºC. Entretanto, as máxima absolutas podem chegar a 40º C e as mínimas absolutas alcançando valores próximos a 0ºC.

Fauna e flora

Cerca de dois terços da região da Chapada dos Veadeiros encontravam-se cobertos primitivamente por savana estacionais em solos bem drenados (os cerrados).

Das espécies registradas para a Chapada dos Veadeiros, foram registradas um total de 1.476 espécies, distribuídas em 579 gêneros e 135 famílias.

O bioma Cerrado é o segundo maior do Brasil e ocupa 21 % do território nacional detendo um terço da biodiversidade brasileira e 5 % da fauna e flora mundiais. É considerada a savana mais diversificada do mundo e a última fronteira agrícola do planeta, além de ser considerado como um dos 25 hotspots do mundo. É uma das regiões menos conhecidas da América do Sul, sendo que quase 60% do Cerrado não possui estudos biológicos e, portanto, sua probabilidade de perder espécies é potencialmente alta. De acordo com alguns estudos, a fauna de vertebrados do Cerrado é rica, sendo que são conhecidas 196 espécies de mamíferos, 837 espécies de aves, 184 de répteis, 113 de anfíbios e 780 de peixes. Quanto aos invertebrados, estima-se que existam 90.000 espécies.

Na lista das espécies ameaçadas nesta UC, destacam-se o cervo-do-pantanal, o gato-do-mato, o lobo-guará, o tico-tico-do-mato, o gato-maracujá, o gato-palheiro, o pato mergulhão, o tamanduá-bandeira, onça pintada, tatu-canastra, inhambu-carapé, socó-jararaca e a águia-cinzenta.

Problemas e ameaças

Após 45 anos de existência, a Chapada do Veadeiros, a despeito de todos os seus problemas de implantação e gerenciamento, parece estar bem inserido na realidade regional do chamado Nordeste Goiano e na realidade microrregional (nos cinco municípios do entorno).

É patente que a grande parte dos atores locais reconhece o Parque como um componente permanente à região e que pouco desses atores se declaram adversários ou insatisfeitos com sua existência. Antigos e novos residentes do entorno, em numerosos casos, fizeram investimentos em empreendimentos e atividades, como o ecoturismo, serviços de transporte e guias, pousadas, restaurantes, hotéis, artesanato, etc.

A extração mineral, embora tenha perdido sua importância inicial na economia local, ainda é praticada pontualmente, de forma mecanizada ou em pequena escala, de modo rudimentar. A extração desordenada se manifesta em alguns locais degradados, o que inclui principalmente antigas lavras de ouro, garimpos de quartzo (cristal de rocha), cassiterita e diamante, minas de manganês e, atualmente, áreas de extração de areia aluvionar.

Embora localizada, a extração irregular acarreta impactos acentuados, na forma de escavações abandonadas e sem recomposição.

Fontes

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/20-geral/4035-veadeiros-inaugura-primeira-trilha-com-pernoite.html

http://www.icmbio.gov.br/portal/comunicacao/noticias/20-geral/2781-novidades-na-gestao-do-uso-publico-da-chapada-dos-veadeiros.html

http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/guia-do-visitante.html

http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/cerrado/unidades-de-conservacao-cerrado/2081

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D86596.htm

http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/203-parque-nacional-da-chapada-dos-veadeiros.html

http://www.oeco.org.br/noticias/27300-chapada-dos-veadeiros-inaugura-primeira-travessia-com-pernoite

Plano de Manejo 2009: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/pm_chapada_dos_veadeiros_1.pdf