Parque Nacional da Lagoa do Peixe

Fique por dentro das novidades do Parque Nacional da Lagoa do Peixe no Blog do WikiParques


Carregando mapa...
Parque Nacional da Lagoa do Peixe
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Tavares, Mostardas e São José do Norte
Categoria: Parque
Bioma: Marinho Costeiro
Área: 34.400 hectares
Diploma legal de criação: Decreto n.º 93.546 de 06 de novembro de 1986.
Coordenação regional / Vinculação: Parna federal, órgão gestor ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: Tel: (51) 3673-2435

Endereço sede: Praça Luis Martins, 30.
Mostardas, Rio Grande do Sul
CEP: 96.207-000

E-mail: lagoadopeixe@terra.com.br
parna-lagoadopeixe.rs@icmbio.gov.br

Índice

Localização

O Parque está localizado na península da Lagoa do Patos (RS), no litoral do Rio Grande do Sul e abrange os municípios de Tavares e Mostardas e São José do Norte.

Como chegar

Da rodoviária de Porto Alegre pegar um ônibus da empresa PALMARES para Tavares/Mostardas. A viagem tem duração de 5 horas. Mais informações no site http://www.rodoviaria-poa.com.br.

De carro, seguir pela rodovia estadual RS-040 até entroncamento com RS-776 para Palmares do Sul. Seguir até entroncamento com BR-101 para Mostardas e Tavares.

Até a beira da lagoa não existe transporte público, é preciso portanto contratar uma operadora de turismo, ir de táxi ou fazer o percurso a pé, através de duas trilhas (do Talhamar e da Figueira), com mais de 10km cada.

Ingressos

O serviço de atendimento ao turista está aberto de segunda a sexta-feira - das 8h30min às 12 e das 13h30min às 18h, mediante agendamento.

O parque está aberto a semana toda, inclusive finais-de-semana e a visitação é gratuita, mas não possui guia.

Os meses de outubro a março é a melhor temporada para visitar. Mas no inverno pode-se encontrar mais mamíferos e cetáceos

Onde ficar

É proibido acampar no parque.

Em Mostardas e Tavares é possível encontrar guias do Ibama para visitas monitoradas. Essas duas cidades, que ficam a 25 km e 5 km do parque, respectivamente, oferecem hotéis, pousadas e restaurantes.

Objetivos específicos da unidade

A UC tem como objetivo específico a conservação dos recursos naturais voltados para a preservação das ves migratórias da Lagoa do Peixe.

Histórico

As tribos de índios Tupi-Guarani habitavam a região do Parque há mais de 400 anos.

A região foi colonizada por açorianos e o nome da unidade se deve à importância da Lagoa dos Peixes, na verdade uma laguna, dentro do ecossistema, a maior e mais procurada pelas aves para a alimentação.

Atrações

O parque é ótimo lugar para a observação de aves. Centenas delas se amontoam nas águas rasas da Lagoa do Peixe. Pode-se observar também a baleia franca, entre os meses de julho e outubro, que migram para Santa Catarina. As praias desertas escondem preciosidades, como o Farol da Solidão e o Farol de Mostardas, construído em 1858.

No parque, é possível observar aves como gansos marinhos, cisnes, marrecos, flamingos, maçaricos, gaivotas, mariquita, pula-pula, entre outros.

Há trilhas que podem ser percorridas a pé como a trilha do Talhamar (percurso de 12 km), a trilha da Figueira (1,5 km) e a trilha das Dunas (10 km).

Com um veículo 4x4, pode-se seguir pela BR-101 até São José do Norte na chamada "Estrada do Inferno" que é completamente deserta. Em setembro, centenas de margaridas cobrem as dunas.

Aspectos naturais

O lugar é conhecido como o paraíso das aves migratórias. O parque está localizado em uma extensa planície costeira arenosa e tem uma paisagem comporta por mata de restinga, banhados, campos de dunas, lagoas de água doce e salobra, assim como praias e área marinha.

A Lagoa do Peixe é rasa com 60 cm de profundidade e possui 35 km de comprimento e 2 km de largura. Ela é formada por uma sucessão de pequenas lagoas interligadas e serve como um berçário natural para espécies marinhas como o camarão-rosa, a tainha e o linguado.

A UC preserva um importante ecossistema costeiro. Na região, vivem algumas comunidades de pescadores, descendentes dos lusitanos, sobrevivendo da pesca artesanal do camarão no verão e da tainha no inverno.

Relevo e clima

O clima é subtropical úmido, apresentando temperatura média de 16,5º C. O período de menos frio vai de setembro a março. Nessa época há muitos mosquitos na região.

O parque apresenta uma área de vasta planície arenosa, resultante das extensas restingas que barram as lagoas costeiras e sua altitude varia até 25 metros.

Fauna e flora

Pela lagoa, circulam 182 espécies de aves, sendo 26 delas migratórias do hemisfério norte e 5 do sul. A observação de aves é a sua principal atração turística.

Do Chile e da Argentina, chegam os flamingos. Do norte vem o maçarico-de-peito-vermelho. O parque ainda possui mamíferos como a capivara e o tamanduá e um réptil ameaçado de extinção, o jacaré-de-papo-amarelo. Na lista das espécies ameaçadas, estão o gavião-cinza, a gaivota-de-rabo-preto, sanã-cinza e Ttinta-réis-real.

Problemas e ameaças

O maior entrave para a proteção da UC é a questão fundiária. Em duas décadas, menos de 10% da área ocupada pelo Parque foi desapropriada o que dificulta a sua proteção e causa conflitos.

Algumas atividades conflitantes com a unidade são a ocupação humana, a pesca, a agricultura, a pecuária e a caça.

A região tem como principais atividades a cultura de arroz e a pesca de camarões e tainhas.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/297/

https://www.facebook.com/parnalagoadopeixe

http://www.brasil.gov.br/localizacao/parques-nacionais-e-reservas-ambientais/parque-nacional-da-lagoa-do-peixe-2013-rs

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/marinho/unidades-de-conservacao-marinho/2259-parna-da-lagoa-do-peixe

Decreto de criação: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/1985-1987/D93546.htm

http://www.turismo.rs.gov.br/portal/index.php?q=atrativo&id=141&bd=&fg=2

http://ecoviagem.uol.com.br/brasil/rio-grande-do-sul/parque-nacional/lagoa-do-peixe/

http://www.brasilturismo.com/parquesnacionais/parque-nacional-da-lagoadopeixe.php

http://www.conservation.org.br/publicacoes/files/avesmigratorias/sul/AvesSUL_peixes.pdf

Plano de Manejo, 1999: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/parna_lagoa-do-peixe.pdf

http://parnalagoadopeixe.blogspot.com.br/