Parque Nacional de Sete Cidades

O Parque Nacional de Sete Cidades, no Piauí, é um lugar onde a beleza cênica dos paredões e formações rochosas servem de moldura para uma viagem ao passado ilustrada por pinturas rupestres. Passado e presente se misturam nos mais de 6 mil hectares do parque, que também é uma zona de encontro da Caatinga com o Cerrado. Pés de pequi e juazeiros se juntam na mesma paisagem que une flora e fauna típica dos dois biomas. A mistura só enriquece ainda mais as belezas naturais do parque que também possui cachoeiras, poços e lagos que garantem um refresco ao clima quente do Piauí.

Fique por dentro das novidades do Parque Nacional de Sete Cidades no Blog do WikiParques


Carregando mapa...
Parque Nacional de Sete Cidades
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Piaui
Município: Piracuruca e Brasileira
Categoria: Parque
Bioma: Caatinga
Área: 6.221 hectares
Diploma legal de criação: Decreto n° 50.744 de 8 de junho de 1961
Coordenação regional / Vinculação: Parna federal, órgão gestor ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade)
Contatos: Tel: (86) 3343-1342 / 3276-1863

Endereço sede: Cx Postal, 35
Piripiri, Piauí.

Índice

Localização

O Parna situa-se a nordeste do Piauí e abrange os municípios de Piracuruca e Brasileira.

Como chegar

Por Teresina, seguir pela BR-343, chegar no Posto Petecas, em Piripiri. Seguir pela BR-222 sentido Fortaleza por 10 quilômetros. Entrar na altura do km 64 da rodovia.

Ingressos

No momento não está sendo cobrado ingressos.

Para visitar o parque o turista/visitante terá que contar com um guia condutor de visitantes, que cobra pelo serviço ao grupo de visitantes A melhor época para visitar o Parque é entre dezembro e junho, quando as cachoeiras estão mais cheias e o clima mais ameno.

Onde ficar

O parque possui área para camping, alojamento, lanchonete e restaurante. E seus atrativos principais são bem sinalizados com placas explicativas. Dentro da UC, há um abrigo-hotel co 12 apartamentos. Fora do Parque há também opções de hotéis e pousadas.

Objetivos específicos da unidade

Como objetivo específico, a UC pretende conservar o cerrado, sua diversidade ecológica, suas potencialidades de recursos energéticos, assim como os monumentos geológicos, as pinturas rupestres. O fomento à pesquisa científica é um dos objetivos da UC.

Histórico

O Parna preserva um dos mais importantes sítios arqueológicos do Brasil, com monumentos geológicos e nascentes que brotam do semi-árido do Piauí.

Essas curiosas formações rochosas, monumentos com aproximadamente 190 milhões de anos, foram divididas em sete conjuntos nomeados de “Sete Cidades”. O estado do Piauí foi uma passagem de grupos migratórios que vinham de terras secas em busca de terras mais férteis.

Grupos indígenas como os Tupi, Caraíbas e Tapuias povoaram a bacia do Rio Parnaíba como os Tramembés, Aroás, Cupinharões, Tabajaras e Amoipirás. Estes grupos indígenas não receberam de forma pacífica os colonizadores e, a partir de 1713, ocorreu um grande extermínio destes povos. Em 1850, quase todos haviam sido dizimados.

Atrações

As formações rochosas estão espalhadas pelo parque. O local é propício para trilhas de aventura entre as rochas.

Aspectos naturais

Sua vegetação, uma transição do cerrado e da caatinga, oferece piscinas naturais e cachoeiras.

Relevo e clima

O clima é quente semiárido da região conta com seis meses de seca. A temperatura média anual fica em torno de 25 °C, com máxima e mínima absoluta em torno de 39 e 12ºC, respectivamente.

Fauna e flora

É possível avistar a presença da onça-parda, vários gatos-do-mato, cachorro-do-mato, veado-mateiro, tucano, falcão tropical e paca, com destaque para uma espécie que marca fortemente sua presença, o Mocó, roedor habitante das tocas existentes nas rochas areníticas dos monumentos geológicos do local. O Currupião e o xexéu são aves também chamam a atenção.

A vegetação característica é de transição entre o cerrado e a caatinga, onde se encontram espécies como o murici, o pau-terra, as palmeiras, o buriti, a carnaúba e o tucum.

A flora do Parque Nacional de Sete Cidades possui numerosas plantas importantes para a alimentação da fauna local, tais como a mangabeira, a guabiroba, o piquizeiro e o bacurizeiro.

Do ponto de vista florístico ocorrem, entre muitas outras, as juremas e o xique-xique. Perto de algumas cachoeiras podem ser encontrados exemplares do pau-d'arco.

Problemas e ameaças

A UC tem níveis significativos de biodiversidade e contém um número significativo de espécies que constam da lista brasileira de espécies ameaçadas de extinção.

Fontes

http://observatorio.wwf.org.br/unidades/cadastro/316/

http://www.brasil.gov.br/localizacao/parques-nacionais-e-reservas-ambientais/parque-nacional-das-sete-cidades-2013-pi

http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/208-parque-nacional-das-sete-cidades.html

http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/unidades-de-conservacao/biomas-brasileiros/caatinga/unidades-de-conservacao-caatinga/2133-parna-de-sete-cidades

Decreto de Criação: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/portarias/sete.pdf

http://www.caravanadaaventura.com.br/mapa-da-aventura/parques/nordeste/item/parque-nacional-de-sete-cidades-pi

Plano de Manejo, 1979: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/PARNA%20SETE%20CIDADES.pdf