Reserva Natural Serra das Almas

A Reserva Particular do Patrimônio Natural Serra das Almas, mantida pela Associação Caatinga, é reconhecida, pela Unesco, como Posto Avançado da Reserva da Biosfera por abrigar uma representativa parte da caatinga no sertão de Crateús-CE. São 6.146 hectares de área protegida que resguardam três nascentes e espécies ameaçadas de extinção. São desenvolvidas atividades de pesquisa científica, recreação e visitação escolar, além de projetos de educação ambiental e desenvolvimento sustentável junto às comunidades do entorno da reserva, combinando preservação ambiental com geração de renda e melhoria da qualidade de vida local.

Fique por dentro das novidades da Reserva Natural Serra das Almas no Blog do WikiParques



Reserva Natural Serra das Almas
Esfera Administrativa: Particular
Estado: Ceara
Município: Crateús
Categoria: Reserva Particular do Patrimônio Natural
Bioma: Caatinga
Área: 6.146 hectares
Diploma legal de criação: Portaria Federal n° 51, de 08 de setembro de 2000
Coordenação regional / Vinculação: Associação Caatinga
Contatos: E-mail: rppn.sede@icmbio.gov.br

Telefone: (61) 3341-9025

Índice

Localização

Localizada no Sertão dos Inhamuns, no município de Crateús (Ceará) e Buriti dos Montes (Piauí), numa área classificada pelo Ministério do Meio Ambiente como de alta importância para a conservação, a Reserva Natural Serra das Almas tem uma área de 6.146 hectares que abrigam uma amostra significativa da flora e fauna da Caatinga.

Como chegar

A sede da reserva fica a 50 km da cidade de Crateús (385 Km de Fortaleza) sendo este percurso percorrido em 1 hora e 15 minutos em média.

Ingressos

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Conservação da diversidade biológica em áreas privadas

Histórico

Existem aproximadamente 1.700 famílias no entorno da RNSA que, em sua maioria, vivem no município de Crateús no Estado do Ceará, nos distritos de Tucuns, Queimadas, Poty e Ibiapaba e uma pequena parcela no distrito de Jatobá no município de Buriti dos Montes-Piauí.

A Associação Caatinga acredita que, além dos esforços empregados na conservação do bioma, é preciso promover o envolvimento de toda comunidade do entorno em planos de ecodesenvolvimento, visando a preservação ambiental com a geração de renda para as comunidades carentes. Por esse motivo, criou-se o Modelo Integrado de Conservação da Caatinga.

Atrações

A Reserva Natural Serra das Almas possui duas estruturas de atendimento aos visitantes:

Um centro de visitantes na Sede da Reserva, com alojamento para 20 pessoas, cozinha, refeitório, ecodemia (academia ao ar livre), trilhas e área de convivência. Este espaço é ideal aos aventureiros e amantes da natureza que querem experimentar a vida numa reserva isolada, com caminhadas em três trilhas ecológicas (trilha dos macacos, trilha do lajeiro e trilha das arapucas), observação de aves e diversos espaços para contato direto com a natureza.

A outra estrutura é o Centro Ecológico Samuel Johnson que possui auditório com capacidade para 30 pessoas, alojamento para 22 pessoas, cozinha, refeitório e um viveiro de mudas com capacidade para produção de 100 mil mudas/ano. Ideal para visitas escolares, possui uma trilha de 11 km que liga o CDA à sede da reserva, além da Trilha da Encosta e Trilha do Açude.

Sobre as trilhas:

Trilha dos Macacos

A trilha possui este nome porque na época da seca, os macacos-prego se concentram nas suas imediações podendo ser avistados facilmente. Favorecida por um riacho que mantém seu curso d’água durante todo o ano, oferece um local de alimentação e água.

Em forma de circuito que segue o percurso do riacho, possui aproximadamente 2 km de extensão. Seu nível de dificuldade é considerado médio, devido ao terreno irregular, havendo subidas e descidas que requerem um pouco de cuidado dos visitante.

A vegetação típica encontrada durante o circuito é caracterizada como floresta decidual, popularmente conhecida como mata seca. As árvores de grande porte como: Jatobá, Sipaúba, Espinheiro, Aroeira, Ingaí e Inharé, proporcionam sombra por quase toda trilha, possibilitando que esta seja feita em qualquer horário do dia. 

Pra chegar ao riacho, os visitantes terão que descer uma escada com cordas para apoio, daí em diante a trilha segue por toda a sua margem. A pequena queda d’água é a principal atração da trilha, local onde se pode descansar e refrescar-se antes de continuar o circuito.

Trilha das Arapucas

Possuindo aproximadamente 6 km de extensão é a trilha mais longa da reserva. Possui esse nome por se assemelhar,para quem olha da depressão sertaneja, a uma armadilha usada para capturar tatus e pebas.

Inicia na estrada que dá acesso à sede da Reserva Natural Serra das Almas. Como é uma trilha de longa duração, requer um bom preparo físico e muita disposição, sendo necessário levar água e um lanche.

No final da trilha, se encontra o local mais alto da reserva com 739 metros em relação ao nível do mar. O mirante possui uma das mais belas vistas da reserva, onde se pode observar toda sua área localizada na depressão sertaneja.

Sua vegetação é composta uma parte pelo carrasco e boa parte de mata seca, ainda bem preservada.

Trilha do Lajeiro

A Trilha do Lajeiro possui uma extensão de aproximadamente 1,2 km. É uma trilha leve, sem subidas abruptas e com uma paisagem que se modifica durante o percurso, mostrando a diversidade da vegetação existente na reserva.

A trilha inicia-se na placa do fundador da reserva, Sam Johnson. Também no inicio, há um pequeno riacho. Logo após atravessá-lo, teremos a oportunidade de avistar as pedras, que os macacos-prego utilizam para quebrar os coquinhos e castanhas.

Seguindo a trilha, podemos notar a mudança para a vegetação de porte mais baixo onde é fácil a visualização de pássaros de várias espécies.

A trilha termina no Lajeiro, uma formação rochosa de aparência bastante exótica e bela. É um ambiente muito rico em cactáceas e bromeliáceas, plantas símbolo da caatinga e do Nordeste, como o mandacaru, xique-xique e a macambira.

Aspectos naturais

Relevo e clima

Fauna e flora

Na Reserva Natural Serra das Almas podem ser distintas três formações vegetacionais:

Formação arbustiva estacional densa decídua Montana (Carrasco). Formação florestal estacional decídua submontana (Mata Seca). Formação não florestal estacional arbórea/arbustiva decídua espinhosa (Caatinga). São formações que possuem diferentes fisionomias de acordo com a época do ano. Na estação chuvosa o verde toma conta da paisagem, enquanto que na estação seca a maior parte dos vegetais perde suas folhas, em resposta à escassez d’água.

É possível encontrar árvores como: Mororó (Bauhinia spp.), Joazeiro (Ziziphus joazeiro), Pau-d’arco (Tabebuia ochracea), Jaborandi (Pilocarpus spicatus), Aroeira (Myracrodruon urundeuva), Jurema-preta (Mimosa tenuiflora), Sabiá (Mimosa caesalpinifolia), Jatobá (Hymenaea spp.), Mofumbo (Combretum spp.) Espinheiro (Acacia glomerosa). Dentre as espécies de cactos merecem atenção: o mandacaru (Cereus jamacaru), o xique-xique (Pilosocereus gounellei) e a coroa-de-frade (Melocactus macrodiscus). As bromeliáceas chamadas popularmente de macambiras e croatás pertencem aos gêneros: Encholirium e Bromelia. Ao todo podem ser encontradas mais de 320 espécies de plantas.

A reserva também abriga várias espécies animais, inclusive algumas espécies ameaçadas de extinção. No último levantamento realizado foram encontradas 45 espécies de mamíferos, 237 de aves, 44 de répteis e 34 de anfíbios. Durante as trilhas é possível encontrar várias dessas espécies, como os simpáticos soins (Callithrix jacchus), macacos-prego (Cebus apella), o cancão (Cyanocorax cyanopogon), ave que anda em bandos, dentre várias outras que podem ser observadas e contempladas, desde que se tenha muita atenção e silêncio.

A Reserva Natural Serra das Almas também contribui para a conservação de espécies ameaçadas de extinção como a jaguatirica (Leopardus pardalis), a suçuarana (Puma concolor) e o veado catingueiro (Mazama gouazoubira). O grande número e diversidade de aves faz da reserva um ótimo local para a prática do birdwatching.

Problemas e ameaças

A caça dentro da reserva é um dos maiores desafios e ameaças enfrentados pela RPPN.

Fontes

http://acaatinga.org.br/reserva/index.php/pt-br/

http://acaatinga.org.br/reserva/index.php/pt-br/infraestrutura-e-trilhas

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=1376