Reserva Biológica Estadual do Sassafrás



Reserva Biológica Estadual do Sassafrás
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Santa Catarina
Município: Doutor Pedrinho e Benedito Novo
Categoria: Reserva Biológica
Bioma: Mata Atlântica
Área: 5229
Diploma legal de criação: Decreto nº 2.221, de 04/02/1977
Coordenação regional / Vinculação: Fundação de Meio Ambiente de Santa Catarina
Contatos: Endereço: RUA FELIPE SCHIMIDT,385 - CENTRO - Florianópolis/SC

CEP: 88.010-001 E-mail: 1. arnogesser@fatma.sc.gov.br Telefone: 1. (48) 3216-1766

Índice

Localização

A gleba menor possui cerca de 1.361 hectares e está localizada na comunidade de Alto São João no município de Benedito Novo. A gleba maior possui cerca de 3.868 hectares e está localizada na comunidade de Alto Forcação no município de Doutor Pedrinho.

Como chegar

Ingressos

A categoria de Reserva Biológica não permite a visitação.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Conservação, pesquisa científica e educação ambiental.

Histórico

O nome da UC faz referência à espécie arbórea Ocotea odorifera (Vellozo) Rohwer, conhecida popularmente como canela-sassafrás ou simplesmente sassafrás, pertencente à família das Lauráceas. Presente em elevada abundância na região, a canela-sassafrás foi sobre-explorada a partir do início do século XX em função da qualidade da sua madeira para a construção civil e de sua grande capacidade de produção do óleo essencial Safrol, com aplicabilidades diversas para a farmacologia, cosmetologia e medicina, fatores que resultaram na sua inclusão na Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção.

Atrações

A categoria de Reserva Biológica não permite a visitação.

Aspectos naturais

A região da Reserva Biológica Estadual do Sassafrás está inserida na Região Hidrográfica Vale do Itajaí (RH7), dentro do sistema da vertente atlântica, e ocupa a porção nordeste do território catarinense. Essa região possui uma área de aproximadamente 15.111 km² e sua população está estimada em um milhão de habitantes, distribuídos em 51 municípios, com densidade demográfica em torno de 66 hab/km².

As características geológicas e geomorfológicas da área da REBES estão diretamente correlacionadas do ponto de vista temporal, estrutural, petrológico e morfológico, ou seja, através do processo de placas tectônicas ao longo do tempo geológico; formação das rochas de acordo com sua origem (ígnea, sedimentar ou metamórfica); e pela atuação dos agentes modificadores da paisagem (físicos, químicos e biológicos).

A REBES está localizada na região do médio Itajaí-açú na área de ocorrência da Bacia do Paraná, onde predominam os afloramentos dos grupos Itararé e Gautá, ambos do início do Permiano da Era Paleozóica.

Relevo e clima

Relevo bastante acentuado, com inúmeros vales cortados por córregos e cachoeiras.

Fauna e flora

A região da Reserva Biológica Estadual do Sassafrás se encontra em uma zona de transição, entre a Floresta Ombrófila Densa e a Floresta Ombrófila Mista, o que torna a região rica em biodiversidade.

Intimamente ligada a esta particularidade vegetacional, a região da REBES abriga espécies de mamíferos atualmente raras em Santa Catarina, como a anta Tapirus terrestris e o queixada Tayassu pecari. A primeira ocorre apenas em outra UC estadual, de proteção integral, de tamanho significativamente maior que a REBES e ainda com grandes remanescentes florestais (Parque Estadual da Serra do Tabuleiro). Já em relação ao queixada, chama a atenção a constatação de grandes grupos transitando aparentemente com alta frequência. Destaca-se ainda a provável ocorrência de uma população relativamente alta de veado-mateiro Mazama nana na região da REBES.

A riqueza geral apontada pelos dados primários e secundários dos levantamentos da Avaliação Ecológica Rápida é representada por nove espécies de mamíferos de médio e grande porte diretamente registradas em campo pelo pesquisador, além de 5 espécies adicionais, mencionadas em depoimentos por moradores da área rural no entorno da REBES, bem como nos registros diretos de 26 espécies de mamíferos de médio e grande porte feitos preteritamente por Tortato et al. (manuscrito não publicado). Somado aos registros históricos e aos levantamentos de mamíferos de pequeno porte, eles resultam numa riqueza geral de 53 espécies pertencentes a 9 ordens.

A diversidade e composição da avifauna da região da REBES é bastante característica da zona de transição entre as Florestas Ombrófilas Densa e Mista, com alta riqueza e diversidade, bem como elevado número de espécies com interesse para conservação e ameaçadas de extinção.

A diversidade e composição da avifauna da região da REBES é bastante característica da zona de transição entre as Florestas Ombrófilas Densa e Mista, com alta riqueza e diversidade, bem como elevado número de espécies com interesse para conservação e ameaçadas de extinção.

A consolidação dos resultados, considerando desde a lista preliminar de Sick et al. (1979) até a presente Avaliação Ecológica Rápida, resultou numa lista de 335 espécies para a região abrangida pelas duas glebas da REBES, representando 18% da avifauna brasileira (considerando 1.822 espécies em CBRO, 2008), e aproximadamente 52% da avifauna de ocorrência atualmente conhecida para Santa Catarina.

Problemas e ameaças

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=1830

http://www.fatma.sc.gov.br/conteudo/reserva-biologica-estadual-do-sassafras