Parque Estadual Guartelá



Parque Estadual Guartelá
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Parana
Município: Tibagi
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 798 hectares
Diploma legal de criação: Criado pelo Decreto Estadual Nº 1.229 De 27.03.1992 e pelo

Decreto Estadual Nº. 2.329 De 24/09/1996.

Coordenação regional / Vinculação: Instituto Ambiental do Paraná - IAP/SEMA
Contatos: Instituto Ambiental do Paraná - PR 340 Km 42 - Caixa Postal 42 , Bairro Guartelá de Cima, Município de Tibagi – PR Cep 84.300 000.

E-mail: peguartela@iap.pr.gov.br; Tel: (42) 3901-1687 ou 8850-5072.

Índice

Localização

O Parque Estadual do Guartelá está localizado no município de Tibagi, situado na região dos Campos Gerais na porção centro-leste do Estado do Paraná.

Como chegar

Uma opção é pela PR-340kM 247, entre Castro e Tibagi.

Ingressos

Os horários de início do trajeto são pré-fixados (8h30, 9h30, 13h30, 14h30) e podem ser feitos em grupo de, no máximo, 10 visitantes e o guia responsável.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Criado em 1992 com o objetivo de assegurar a preservação dos ecossistemas típicos, oferecendo aos visitantes uma excepcional beleza cênica como os “canyons”, cachoeiras e insinuantes formações rochosas, o Parque abriga o Canyon do Rio Iapó ou Canyon Guartelá.

Histórico

O cânion Guartelá, cortado pelo rio lapó, abriga desde 1992 o Parque Estadual do Guartelá, 6º maior do mundo em extensão e único com vegetação nativa. Protege um rico ecossistema e várias atrações naturais, como quedas 'água , corredeiras, formações areníticas, vales e inscrições rupestres de aproximadamente 7 mil anos. O nome Guartelá foi dado devido ao nome do bairro tibagiano que abriga integralmente o Parque. Conforme a lenda, o nome “Guartelá” surgiu da expressão “Guarda-te-lá que cá bem fico”, utilizada por um morador da região ao prevenir seu “compadre” de um ataque indígena.

Atrações

A grande atração é o cânion e as duas trilhas que contam o parque: Trilha Básica e Trilha das Pinturas Rupestres. a primeira, de aproximadamente, 5.000 metros de extensão (ida e volta), dá acesso às piscinas naturais do Arroio Pedregulho, onde é permitido banho; ao mirante do cânion e à cachoeira Ponte de Pedra. Para percorrer a trilha, o horário limite do início da caminhada é 16h30 e não é necessária a contratação de guias.

Aspectos naturais

Preserva algumas espécies ameaçadas de extinção, entre elas: tamanduá bandeira, macaco bugio, lobo guará, irara, jaguatirica, gato maracajá, lontra, mão pelada, onça parda, paca e cutia. É possível observar os canyons, morros, rios e cachoeiras de todos os tamanhos.

Relevo e clima

Fauna e flora

Nas áreas de altitude, a vegetação se caracteriza por campos nativos ou estepe de gramíneas baixas, consideradas as formações florísticas mais antigas do estado. Biólogos já encontraram na região espécies de plantas só vistas em lugares distintos: samambaias e xaxins típicos da mata atlântica, cactos encontrados na caatinga e imbira e Cambuí que foram à vegetação de banhados. No Guartelá está ainda a área de serrado mais ao sul do continente, característica própria da região Centro-Oeste do Brasil. Entre as principais espécies estão a Araucária, o pessegueiro-bravo, o angico, a copaíba, o barbatimão, o marmeleiro, o ipê amarelo, o cedro e a erva-mate. Tem ainda orquídeas, bromélias, cactos, a carqueja, o jerivá e o xaxim. A diversidade de fauna também é muito grande, mas há ainda locais completamente virgens que escondem muitos animais. Há quem diga que já viu macaco, onça, lontra, veado, etc. Tudo isso num mesmo ecossistema. Mas os animais mais encontrados são os bugios, a jaguatirica, o veado, o urubu-rei, o gavião pombo, a seriema, a paca, a capivara, o lagarto, a jararaca, tamanduás-mirins, tatus.

Problemas e ameaças

Fontes

http://www.iap.pr.gov.br; http://tibagi.pr.gov.br/turismo/tibagi/natureza.html. http://www.tibagi.uepg.br/iiiepuepg/turismo/canyon.htm