Parque Estadual Vale do Codó

O Parque Estadual do Vale do Codó (PEVC) é um dos mais novos parques estaduais do Paraná. Com 760 hectares, o parque abriga o vale de mesmo nome, por onde corre o Rio Jaguariaíva. Ao longo do curso do rio, formam-se canyons protegidos por paredões de pedra de até 20 metros de altura.



Parque Estadual Vale do Codó
Esfera Administrativa: Estadual
Estado: Parana
Município: Jaguariaíva, Sengés
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 760 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Estadual n° 1.528, de 02 de outubro de 2007.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Ambiental do Paraná
Contatos: Instituto Ambiental do Paraná

Telefone: (41) 3213-3700

Unidade de Conservação do Parque Estadual Vale do Codó

E-mail: ucsparana@iap.pr.gov.br

Telefone: (42) 3228-1538

Índice

Localização

O Parque Estadual Vale do Codó (PEVC) situa-se no município de Jaguariaíva, na região conhecida como Campos Gerais do Paraná.

Como chegar

O acesso à região do PEVC pode ser feito pela rodovia PR- 151. Partindo de Ponta Grossa, no sentido Piraí do Sul, nas proximidades da área urbana do município de Jaguariaíva, no km 211 é possível adentrar numa estrada vicinal, sem pavimentação. A partir desse ponto, percorre-se aproximadamente 3 km até chegar às margens do rio Jaguariaíva, próximo da Usina Nova Jaguariaíva.

Ingressos

A visitação ainda não ocorre de forma manejada dentro da Unidade de Conservação.

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

São objetivos específicos do PARQUE a preservação de campos nativos, campos rupestres, cerrado e ecossistemas associados, além dos remanescentes de Floresta Ombrófila Mista ou Floresta de Araucária, as paisagens de alto alcance e os mirantes naturais com grande amplitude visual, os recursos hídricos, em especial as quedas d'água e cachoeiras, as fontes e nascentes, os paredões e afloramentos de arenito relictos da Era Devoniana, o Canyon do Rio Jaguariaíva, bem como a integração entre o Primeiro e o Segundo Planaltos do Paraná através de Corredor de Biodiversidade que possibilite o fluxo gênico, o trânsito da fauna silvestre e a salvaguarda dos pontos de parada e reprodução da avifauna.

Histórico

Atrações

O Parque Estadual Vale do Codó é marcado por cachoeiras e canyons.

O canyon do rio Lajeado Grande possui aproximadamente 450 metros de extensão e desnível de aproximadamente 50 metros. O rio Lajeado Grande possui aproximadamente 12 quilômetros de extensão, sendo que o canyon ocorre próximo de sua foz, no rio Jaguariaíva.

As principais cachoeiras que ocorrem na região do PEVC são a Cachoeira do Véu da Noiva, Cachoeira do Lago Azul e Cachoeira das Andorinhas. Ambas situam-se no rio Lajeado Grande, afluente da margem direita do rio Jaguariaíva. A primeira possui um desnível de aproximadamente 50 metros, a segunda de aproximadamente 20 metros e, finalmente a terceira um desnível de 15 metros.

Aspectos naturais

Em relação ao aspecto hidrográfico do PEVC a região é cortada pelos rios Lajeado Grande e Jaguariaíva. Ambos os cursos fluviais possuem vales com paredes abruptas formando canyons onde ocorrem afloramentos do arenito Furnas.

A Formação Furnas, com idade compreendida entre os períodos, Siluriano e Devoniano, aflora na região do Segundo Planalto Paranaense, na porção oriental da Bacia do Paraná. A formação é constituída predominantemente por arenitos quartzosos, de granulação média a grossa, feldspáticos e/ou caolínicos e mal selecionados

Relevo e clima

O clima vigente apresenta-se como quente-temperado e sempre úmido. A média térmica do mês mais quente é inferior a 22º C, onze meses do ano com temperaturas médias superiores a 10º C.

Fauna e flora

No Parque Estadual do Vale do Codó a vegetação é composta por campos nativos, campos rupestres, cerrado e ecossistemas associados, além dos remanescentes de Floresta Ombrófila Mista ou Floresta de Araucária.

Na região do parque existem remanescentes de vegetação de campos (Estepe GramíneoLenhosa) associados a matas ciliares (Floresta Ombrófila Mista) que ocorrem nas margens dos rios Lajeado Grande e Jaguariaíva.

Uma grande diversidade de espécies de peixes compõe a fauna do Parque, como por exemplo, bagre, cará, carpa, cascudo, mandi e lambari, que são encontrados em quase toda a extensão do rio no Vale do Codó. Em alguns pontos do Vale do Codó também podem ser encontrados cascudo e dourado.

Problemas e ameaças

Falta de monitoramento, de sinalização e de efetiva implementação e controle da Unidade de Conservação do Vale do Codó. Falta do Plano de Manejo da UC.

Fontes

Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (Ministério do Meio Ambiente [1]


http://ojs.uem.br/ojs/index.php/BolGeogr/article/viewFile/23236/pdf_45


Decreto de Criação do Parque Estadual Vale do Codó [2]