Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava

Com a preocupação de proteger tão importante atrativo turístico natural, foi inaugurado em 13 de maio de 2000, o Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava. Com uma área de 173.502,45 m², o Parque tem como objetivo: conservar em estado natural uma amostra do patrimônio espeleológico da região; Recuperar e conservar a cobertura vegetal nativa; Proteger integralmente a fauna, a flora e demais recursos naturais; Fomentar atividades de pesquisa científica; Possibilitar atividades de recreação, educação e conscientização ambiental.

A Prefeitura de Colombo implantou uma infraestrutura para atendimento e visitação, de maneira a atingir os objetivos do parque e garantir segurança aos visitantes. A estrutura do Parque conta com: Centro de Visitantes: Com recepção, sala de exposição, sala de educação ambiental, escritório e sanitários. Trilha: Do Centro de Visitantes até a Gruta, percorre-se aproximadamente 140 metros de trilha, (dos quais 40 metros) que passam por um bosque formado com plantas nativas da região. Gruta: Os visitantes adentram cerca de 200 metros no interior da caverna, dos quais 100 metros são percorridos em passarelas, de onde podem vislumbrar as incríveis formações existentes na gruta. Área de Lazer: Quiosques em meio á vegetação, permitem atividades de educação ambiental e alimentação. Capela: A Capela em louvour a N. S. de Lourdes, resgata um dos aspectos históricos do lugar, já que desde o final do século XIX eram realizadas manifestações religiosas no interior da Gruta. Com a capela, respeita-se a tradição sem causar danos ao patrimônio natural.

FUNCIONAMENTO: 4ª feira à Domingo - 8h30 às 11h30 / 13h às 16h (último grupo sai da caverna às 16h30).

As visitas são acompanhadas por um guia obrigatoriamente, em grupos de até 30 pessoas, a cada 30 minutos. É disponibilizado lanternas aos visitantes. Recomenda-se a utilização de sapatos / tênis adequados para caminhada.


Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava
Esfera Administrativa: Municipal
Estado: Parana
Município: Colombo
Categoria: Parque
Bioma: Mata Atlântica
Área: 17 hectares
Diploma legal de criação: Decreto Municipal nº 1.143, em 17 de setembro de 1999
Coordenação regional / Vinculação: Prefeitura Municipal de Colombo

Secretaria de Industria, Comércio e Turismo - Departamento de Turismo / Secretaria de Meio Ambiente

Contatos: (41) 3656-5669 / (41) 3656-6600 (Depto de Turismo) / (41) 3656-4849 (Sec. de Meio Ambiente)

Índice

Localização

Rua Antonio Gasparin, s/n Bacaetava - Colombo, PR.

O PNMGB localiza-se no município de Colombo, porção leste do estado do Paraná, no Primeiro Planalto Paranaense, incluído na Região Metropolitana de Curitiba (Figura 1). Limita-se ao norte com os municípios de Rio Branco do Sul e Bocaiuva do Sul, a oeste com o município de Almirante Tamandaré, ao sul com os municípios de Pinhais e Curitiba e ao leste com o município de Campina Grande do Sul.

Como chegar

Partindo de Curitiba o acesso é feito pela PR-417, no sentido Curitiba-Colombo (25 km), até a sede do município, a partir deste, segue-se mais 11 km pela rodovia Antônio Gasparin em direção a área rural até o bairro Bacaetava.

Ingressos

Gratuíto

Onde ficar

Hotel Estância Betânia / Hotel Bolsi

Objetivos específicos da unidade

A unidade foi criada com os objetivos de: conservar em estado natural uma amostra do patrimônio espeleológico da região representado pela gruta e seu entorno; proteger integralmente a fauna, a flora e demais recursos naturais; fomentar atividades de pesquisa científica e monitoramento ambiental; e possibilitar atividades de recreação, educação e conscientização ambiental.

Histórico

A história da Gruta do Bacaetava tem início em meados do século XIX, quando foi descoberta quase que por acaso pelo imigrante italiano Antonio Gasparin que se deparou com ela enquanto procurava por um terreno para o plantio. Gasparin doou o terreno da gruta para a Igreja Matriz de Colombo, a paróquia, por sua vez, o doou à Santa Casa de Misericórdia de Colombo que o vendeu ao município, condicionando a doação à criação de um parque ou similar. O primeiro registro formal da gruta aconteceu em 1889, quando, em Sebastião Paraná, foi relatada a visita de Olympio de Sá, antigo morador da região, à caverna (PREFEITURA MUNICIPAL DE COLOMBO, s.d.).

O PNMGB foi criado em 1999, ano em que foi realizado seu primeiro PM que legitimou a implantação da UC. Após a criação do parque a visitação foi direcionada e a área passou a funcionar como uma UC, protegendo a caverna e viabilizando a realização de atividades de uso público, educação ambiental e recreação. Atualmente a unidade recebe cerca de 25.000 visitantes por ano.

Atrações

Gruta do Bacaetava / Imagem de Nossa Senhora de Lourdes

Aspectos naturais

Relevo e clima

De acordo com a classificação proposta por Koeppen-Geiger, o clima da região do PNMGB é definido pela sigla Cfb. Área de clima temperado, úmido, com ocorrência de precipitações ao longo de todo o ano. As estações mais quentes, de maiores valores de temperaturas mínima e máxima, são as que acumulam maior volume de chuva ao passo que os meses mais frios acumulam as menores precipitações.

A área do PNMGB e seu entorno compreendidos pelas rochas da Fm. Capiru, segundo Mineropar (2006), são classificadas como unidade geomorfológica Planalto Dissecado de Tunas do Paraná. Nessa unidade geomorfológica o relevo possui 760 m de gradiente e altitudes máxima e mínima variando entre 640 m e 1400 m. As formas de relevo mais comuns são topos alongados e em cristas. As vertentes são retilíneas e vales em “V” encaixados (MINEROPAR, 2006).

Fauna e flora

A região onde o PNMGB se insere, está na Região Fitoecológica da Floresta Ombrófila Mista (FOM), conhecida como floresta com araucária, conforme IBGE (2012). Esta floresta, também conhecida como “mata-de-araucária” ou “pinheiral”, é um tipo de vegetação do Planalto Meridional, onde ocorria com maior frequência. Esta área é considerada o seu atual “clímax climático”, contudo esta floresta apresenta disjunções florísticas em refúgios situados nas serras do Mar e Mantiqueira, muito embora no passado tenha se expandido bem mais ao norte, porque a família Araucariaceae apresentava dispersão paleogeográfica que sugere ocupação bem diferente da atual (IBGE, 2012). Quanto à composição florística deste tipo de vegetação, IBGE (2012) afirma ser dominada por gêneros primitivos como Drymis e Araucaria (australásicos) e Podocarpus (afro-asiático), sugere, em face da altitude e da latitude do Planalto Meridional, uma ocupação recente a partir de Refúgios Alto-Montanos.

Problemas e ameaças

Entrada clandestina de pessoas, vandalismo, presença de espécies exóticas, animais domésticos e atividades antrópicas a montante da Bacia Hidrográfica do rio Bacaetava e no entorno.

Fontes

Plano de Manejo do Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava (2016)