Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos

O Refúgio de Vida Silvestre Ilha dos Lobos foi criado originalmente como Reserva Ecológica Ilha dos Lobos. Possui esse nome porque nos meses de julho a novembro, os lobos marinhos, por conta das águas quentes, chegam para o acasalamento.



Refúgio de Vida Silvestre da Ilha dos Lobos
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Rio Grande do Sul
Município: Porto Alegre (RS)
Categoria: Refúgio de Vida Silvestre
Bioma: Marinho Costeiro
Área: 142,39
Diploma legal de criação: Decreto nº s/n, de 04/07/2005
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Contatos: Endereço: Trav. Francisco Teixeira, 16 - Centro - Torres/RS - CEP: 95.560-000

E-mail: aline.kellermann@icmbio.gov.br
Telefone: (51) 3664-4874

Índice

Localização

A Ilha dos Lobos está situada a 2 km da costa, no Município de Torres, Estado do Rio Grande do Sul- RS.

Como chegar

Empresa particular realiza saídas embarcadas no verão para observação de leões e lobos-marinhos na ilha.

Ingressos

Situação da visitação: Visitação não manejada
Período: 31/03 a 01/11
Dias da semana: Segunda a Segunda
Horários: 10:00 a 15:00

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

Proteger ambientes naturais onde se asseguram condições para a existência ou reprodução de espécies ou comunidades da flora local e da fauna residente ou migratória.

Histórico

O Refúgio de Vida Silvestre Ilha dos Lobos foi criado originalmente como Reserva Ecológica Ilha dos Lobos, por meio do Decreto nº 88.463, de 4 de julho de 1983. A designação da área como Reserva Ecológica teria sido motivada por relatórios realizados pela organização não-governamental Agapan (Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural), que, em 1982, denunciaram verdadeiros massacres de lobos e leões marinhos, além da pesca predatória de baleias na região. Segundo Albano Backes, há, no Brasil, poucos lugares para repouso e alimentação de mamíferos marinhos, o que torna a Ilha dos Lobos um local singular a ser protegido. Possui esse nome porque nos meses de julho a novembro, os lobos marinhos, por conta das águas quentes, chegam para o acasalamento.

Atrações

O turismo ecológico é feito por meio de barcos que levam turistas e apenas contornam o emaranhado de rochas espalhadas no meio de mar, sem desembarcar os passageiros. Os passeios são diários e tem duração de mais ou menos uma hora.

Aspectos naturais

Geologia

A ilha foi formada por uma série de derrames basálticos ocorridos na era Mesozóica, entre 248 e 65 milhões de anos. Atualmente, representa a mais avançada formação geológica da Serra Geral.

Hidrologia

A ilha não tem nenhuma fonte e nem recebe aporte de água doce.

Relevo e clima

Relevo

Possui relevo plano e pouca altitude, aproximadamente 1700m² de área e profundidades entre 15 e 20 metros.

Clima

Fauna e flora

Fauna

No litoral brasileiro, a ilha é o limite norte de agrupamento de pinípedes. Recebendo, todos os anos uma grande quantidade de leões e lobos-marinhos das espécies Otaria flavescens (leão-marinho-sul-americano) e Arctocephalus australis (lobo-marinho-sul-americano) que se deslocam das colônias reprodutivas do Uruguai durante o inverno em busca de descanso e alimentação. Na ilha, também ocorrem diversas espécies de aves e peixes. No seu entorno é possível avistar baleias, pinguins, tartarugas e já foi feito o registro de um tubarão baleia.

Problemas e ameaças

Recentemente, as enormes ondas que se formam na região tem atraído surfistas, o que tem preocupado os agentes do ICMBio, órgão responsável pela gestão da unidade. Assim, a prática da atividade esportiva tem sido permitida, mas de forma controlada, mediante autorização do órgão ambiental.

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=190

http://repositorio.uniceub.br/bitstream/235/11082/1/eBook_Monumentos_Naturais.pdf