Reserva Extrativista Marinha Pirajubaé




Reserva Extrativista Marinha Pirajubaé
Esfera Administrativa: Federal
Estado: Santa Catarina
Município: Florianópolis
Categoria: Reserva Extrativista
Bioma: Marinho
Área: 1.444 hectares
Diploma legal de criação: Decreto nº 533 de 20 de maio de 1992.
Coordenação regional / Vinculação: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio.
Contatos: Unidade de Conservação:

Endereço: Rua João Cancio Jaques, 1375 - COSTEIRA DO PIRAJUBAÉ - Florianópolis/SC CEP: 88.047-011

E-mail: 1. resex.pirajubae@icmbio.gov.br

Telefone: 1. (48) 3389-2746

Índice

Localização

A Reserva localiza-se na região urbana da Ilha de Santa Catarina, município de Florianópolis.

Como chegar

Ingressos

Onde ficar

Objetivos específicos da unidade

A Reserva Extrativista é uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais, cuja subsistência baseia-se no extrativismo e, complementarmente, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte, e tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade.

Histórico

Pirajubaé foi a primeira reserva extrativista marinha criada no Brasil, estando relacionada especialmente com a sustentabilidade da extração do berbigão, recurso explorado comercialmente pelos extrativistas/pescadores artesanais.

Atrações

Aspectos naturais

A Reserva abrange ecossistemas marinhos e de manguezais, sendo que o principal recurso explorado pelas populações tradicionais é o berbigão (Anomalocardia brasiliensis), pequeno bivalve que ocorre nos bancos arenosos e lamosos da Baía Sul.

Relevo e clima

O relevo é de baixa declividade.

O clima é é subtropical, classificado como mesotérmico úmido.

Fauna e flora

A fauna da unidade de conservação abriga espécies além do berbigão, inúmeras espécies de moluscos, caranguejos, diversos invertebrados aquáticos, e uma grande variedade de peixes. Essa grande riqueza da fauna aquática propicia a vida de pequenos mamíferos que vivem e se alimentam no mangue e favorecem muito as aves.

Em relação à flora, a RESEX Marinha do Pirajubaé abriga espécies como: o mangue-branco (Laguncularia racemosa), o mangue-preto ou canoé (Avicennia schaueriana) e o mangue-vermelho ou sapateiro (Rhizophora mangle).

Problemas e ameaças

O processo de urbanização intenso resulta em impactos ambientais que colocam em risco o modo de vida dos pescadores artesanais e o meio ambiente natural. O lançamento de esgotos e outros efluentes, a deposição de lixo, o desmatamento e aterro do mangue e a pesca desordenada, constituem, atualmente, as principais ameaças ao ecossistema que a RESEX protege.

Fontes

http://sistemas.mma.gov.br/cnuc/index.php?ido=relatorioparametrizado.exibeRelatorio&relatorioPadrao=true&idUc=255

https://pt.wikipedia.org/wiki/Reserva_Extrativista_Marinha_do_Pirajuba%C3%A9